segunda-feira, 3 de agosto de 2020

De Abraão aos Senhores de Engenho (2/3)

A participação judaica no comércio de escravos



A insurreição contra a escravidão teve seu principal marco histórico não com a Lei Áurea, instituída hipocritamente (sic) pela princesa da casa monárquica brasileira, mas sim pela morte do primeiro negro a liderar uma revolta da população negra, Zumbi de Palmares.

Este Holocausto Negro iniciou-se com a vinda dos negros da África, que foram vendidos e negociados como mercadorias descartáveis, para o cultivo da terra, escravizados, espancados, marcados a ferro em brasa, assassinados, vítimas de açoite e outros atos de violência.

Os navios negreiros trouxeram pelo menos 13 milhões de pessoas da África para as Américas, na maior deportação da história mundial. Seu martírio começou no ano 1492, ano da chegada (e não descoberta) de Cristóvão Colombo às Américas. Neste final do século XV, a Espanha vivia uma época de grande prosperidade comercial e também de grande conturbação social. No mesmo ano de 1492, os reis católicos da Espanha, Isabel e Fernando, davam aos judeus a escolha entre a conversão, a morte ou o exílio.

Segundo J. P. Ney, em seu artigo “O comércio escravo”, “com Colombo viajaram 5 judeus-marranos (Luis de Torres, Marco Bernal, Alonzo de la Calle, Gabriel Sanchez e Rodrigo Triana). Estes acompanhantes convenceram Colombo a trazer 500 índios como escravos na viagem de retorno a Espanha. Com isso iniciou-se o drama”.

Ainda segundo este autor, o transporte dos negros como escravos para as Américas começou em 1520. Durante as décadas seguintes, o número de caçados e deportados chegou à cifra anual de até 50.000 pessoas, o que não deixou de ser um dos mais rentáveis negócios daquela época, talvez comparável aos rendimentos fáceis obtidos através da especulação nas bolsas de valores dos dias atuais.



“Escravidão: crime do milênio”

No estudo de Ney, surpreende a relação que este faz entre a procura desenfreada pelo lucro e o fato de que, conforme publicou a revista Der Spiegel em 1998, “O comércio de escravos estava nas mãos de judeus”.

“Não existe mais dúvidas de que o povo judeu foi o que cometeu este crime: eles tinham o monopólio, eles conservavam as condições comerciais, eles possuíam os navios, e era deles o lucro. Aqui não há mais nada a provar. Tudo é conhecido. O último navio de escravos, o navio ORION, pertencia à companhia de navegação judaica Blumenberg, de Hamburgo.”

Parece ser injusto culpar aqui todo um povo pelo ato de alguns de seus membros. Mesmo apesar do fato de alguns judeus terem sido protagonistas do genocídio contra os negros africanos – NR.

            

A relação secreta entre negros e judeus

Em 1991, a comunidade religiosa norte-americana composta de cidadãos negros, The Nation of Islam, publicou um estudo sobre a atuação judaica no tráfico negreiro (1). A obra levou o título de "The Secret Relationship Between Blacks and Jews" e aparenta ser bem fundamentada e documentada. Os autores do estudo deixam bem claro logo no início:

“As informações aqui contidas foram obtidas principalmente de obras judaicas. Foi dada bastante importância na obtenção das provas apresentadas somente a partir de autoridades judaicas de renome, cujas obras apareçam em revistas de história especializadas ou publicadas pelas principais editoras judaicas.”

O especialista negro norte-americano em tráfico escravo, Dr. Tony Martin (1), examinou o livro e o tornou leitura obrigatória em seus cursos.

Na introdução do livro pode-se ler:

“No fundo dos inacessíveis contornos da historiografia judaica, encontra-se provas incontestáveis de que os mais importantes “bandeirantes” judeus ultrapassavam em dimensão bem maior do que outros grupos étnicos ou religiosos da história, o uso dos escravos africanos capturados, e que eles participavam em todos os aspectos do comércio internacional de escravos.”

Como este tema gira em torno de um assunto delicado para a preservação da imagem da comunidade judaica no ocidente, o livro tem sofrido constantes ataques. Incrivelmente, tais ataques irracionais somente iluminam com mais destaque a hipocrisia da dupla moral acerca das pesquisas sobre o miserável comércio de escravos. Para pesquisadores judeus, como Bernard Lewis, é social e moralmente aceitável que livros sejam editados onde a atuação de árabes no comércio negreiro seja apresentada, e é também igualmente razoável social e moralmente que se mostre o comprometimento de europeus no comércio de escravos. Porém, é totalmente “falso, maldoso e imoral” para um pesquisador não-judeu trazer à tona a participação judaica no comércio de escravos negros.

A participação judaica no tráfico de escravos africanos foi abordada pelo historiador brasileiro Gustavo Barroso em sua obra “A História Secreta do Brasil” de 1990, Editora Revisão (2). No capítulo que trata sobre “O empório do açúcar”(volume 1, cap.  II pág. 5) Barroso escreve “O açúcar começou a criar para o judaísmo negócio novo e lucrativo: o tráfico dos negros”.

Talvez a consciência da sociedade brasileira e ocidental irá um dia promover reparações aos cidadãos negros descendentes daqueles que foram injustiçados por tamanha crueldade. Ações para isso já estão sendo levadas a cabo por políticos como, por exemplo, a vereadora do PT, Claudete Alves. Uma vez ciente da problemática envolvendo a comunidade negra brasileira, a vereadora petista poderia procurar mover uma ação reparatória junto às grandes casas bancárias judaicas nas Citys de Londres e Nova Iorque (Israel também), que muito se beneficiaram dos lucros obtidos por seus pares no comércio de escravos africanos.

Versão resumida: http://malcomxrevolution.wordpress.com/2010/08/05/a-escravidao-no-brasil-pelos-brancos-judeos/

Fonte: https://agendaglobal21.wordpress.com/2011/06/20/a-participacao-judaica-no-comercio-de-escravos/

(1) Debate sobre o livro "The Secret Relationship Between Blacks and Jews":
https://archive.org/details/TheSecretRelationshipBetweenBlacksAndJewsVol.2HIGH

(2) Para baixar grátis a rara coleção de 6 livros de "História Secreta do Brasil" de renomado pesquisador brasileiro Gustavo Barroso. Obras raras, imperdíveis com narrativas que nunca se aprenderá em nenhuma sala de aula ou faculdade. Devido a sua peculiaridade, sugere-se salvá-los.
https://desatracado.blogspot.com/2014/06/livros-raros-de-gustavo-barroso.html
_______________________________________________________

Como a escravidão ergueu Wall Street, o distrito financeiro de Nova York
Zoe Thomas, repórter de negócios da BBC News em Nova York
7 setembro 2019

Este mês marca 400 anos desde que os africanos escravizados foram levados pela primeira vez ao que hoje são os Estados Unidos da América. A escravidão foi abolida oficialmente no país em 1865, mas os historiadores dizem que o legado da escravidão não pode ser separado de seu impacto econômico.

A apenas duas ruas do local atual da Bolsa de Nova York, homens, mulheres e crianças foram comprados e vendidos.

"Isso não é história negra", diz Damaris Obi, que lidera a turnê. "Esta não é a cidade de Nova York ou a história americana. Esta é a história do mundo."

É também uma história econômica.

Stacey Toussaint, chefe da Inside Out Tours, que administra o tour Escravidão e Ferrovias Subterrâneas de Nova York, diz que as pessoas costumam se surpreender com a importância da escravidão para a cidade de Nova York.

"Eles não percebem que as pessoas escravizadas construíram o muro ao qual a rua Wall Street deve seu nome", diz ela. "Wall", em inglês, quer dizer muro ou parede.

Segundo algumas estimativas, Nova York recebeu 40% da receita de algodão dos EUA por meio do dinheiro que suas empresas financeiras, empresas de transporte e seguradoras obtiveram. E as plantações de algodão contavam com mão-de-obra escrava.
(...)
A escravidão prosperou sob o domínio colonial. Os colonos britânicos e holandeses (sumiram com os monopolistas! É assim que se manipula a História) contavam com escravos para ajudar a estabelecer fazendas e construir as novas vilas e cidades que acabariam se tornando os Estados Unidos.

Os escravizados foram levados para trabalhar nas plantações de algodão, açúcar e tabaco. As colheitas que cultivavam eram enviadas para a Europa ou para as colônias do norte, onde eram transformadas em produtos usados também ​​para financiar viagens à África para obter mais escravos que depois eram traficados de volta para a América.

Essa rota de negociação triangular era lucrativa para os investidores.

Para arrecadar dinheiro, muitos futuros proprietários de plantações voltavam-se para o mercado de capitais em Londres - vendendo dívidas que eram usadas para comprar barcos, mercadorias e eventualmente pessoas.

Mais tarde, no século 19, os bancos dos EUA e os Estados do sul (quem realmente eram os donos desses bancos?) venderiam títulos que ajudaram a financiar a expansão de plantações onde trabalhavam escravos.

Para equilibrar o risco de trazer à força seres humanos da África para a América, apólices de seguro foram adquiridas.

Essas políticas protegiam contra o risco de um barco afundar e os riscos de perder escravos uma vez que chegassem à América.
(...)
Os bancos americanos (exemplo de fake news) aceitavam seus depósitos e contavam as pessoas escravizadas como ativos ao avaliar a riqueza de uma pessoa.

Nos últimos anos, os bancos americanos (de novo) pediram desculpas publicamente pelo papel que desempenharam na escravidão.

Em 2005, o JP Morgan Chase, atualmente o maior banco dos EUA, admitiu que duas de suas subsidiárias - Citizen's Bank e Canal Bank na Louisiana - aceitavam pessoas escravizadas como garantia para empréstimos. Se os proprietários das plantações deixassem de pagar os empréstimos, os bancos tomariam posse desses escravos.

O JP Morgan não estava sozinho. Os antecessores que compunham o Citibank, Bank of America e Wells Fargo estão entre uma série de empresas financeiras americanas conhecidas que se beneficiaram do comércio de escravos.

"A escravidão era um fato extremamente importante da economia americana", explica Sven Beckert, professor de História Americana da Universidade de Harvard em Laird Bell.

Desenho de mercado de escravos em Nova York, 1730
Mercado de escravos em Nova York, 1730.

O professor Beckert destaca que, embora cidades como Boston nunca tenham desempenhado um papel importante no comércio de escravos, elas se beneficiaram das conexões com as economias escravagistas. Os comerciantes da Nova Inglaterra ganhavam dinheiro vendendo madeira e gelo para o sul e o Caribe. Por sua vez, os comerciantes do norte compravam algodão cru e açúcar.

As fábricas de tecidos da Nova Inglaterra desempenharam um papel fundamental na revolução industrial dos EUA, mas seu suprimento de algodão veio do sul dependente de escravos.

Marcas como Brooks Brothers, a mais velha confecção de roupas masculinas nos EUA, transformaram o algodão do sul em moda de alta qualidade. A Domino's Sugar, que já foi a maior refinadora de açúcar dos EUA, processou cana-de-açúcar cultivada por escravos.
(...)
Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-49558733

Por conhecer fatos como esses e pelo corriqueiro hábito de mudarem de nome que entendemos porque de repente os judeus sumiram da História da Humanidade no período bíblico e só aparecendo novamente na 2ª Guerra Mundial. 

Quem vive da mentira, teme a verdade e a chama de discurso de ódio. 

Veja também: 

"De Abraão aos Senhores de Engenho (2/3)":
https://desatracado.blogspot.com/2020/07/de-abraao-aos-senhores-de-engenho-13.html

"As polacas, a história da vergonha dos judeus":
https://desatracado.blogspot.com/2013/11/as-polacas-historia-da-vergonha-dos.html

"As polacas, vergonhoso passado judeu":
https://desatracado.blogspot.com/2013/10/as-polacas-vergonhoso-passado-judeu.html

"A vida sexual secreta dos judeus":
https://desatracado.blogspot.com/2013/11/a-vida-sexual-secreta-dos-judeus.html

"Prostituídas pela máfia judaica":
https://desatracado.blogspot.com/2014/06/prostituidas-pela-mafia-judaica.html

"0 termo cafetão deriva de caftan, o longo casaco usado por judeus":
https://desatracado.blogspot.com/2014/09/0-termo-cafetao-deriva-de-caftan-o.html

Abraços

36 comentários:

  1. https://www.youtube.com/watch?v=KK_iUOWJT4s

    Então, sem motivo algum, milhões e milhões de alemães votaram em Hitler.

    https://zogbuster.files.wordpress.com/2020/06/38138-neocons2b253d2bcancro.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O avião de cocaína do Bolsonaro: Quais são as ligações de Bolsonaro com o Narco-Estado?
      Muito já se falou sobre os 39 kg (1 kg está suspeitamente faltando…) de cocaína encontrados no avião do presidente do Brasil. Antes de comentar sobre o governo brasileiro, daremos o contexto internacional atual e, em seguida, o histórico nacional.
      (...)
      Sobre a participação de órgãos de espionagem como a CIA em tráfico de cocaína e heroína, existem duas obras já clássicas, infelizmente ainda não traduzidas para o português: “The politics of Heroin” e “Dark Alliance”. O primeiro é da autoria de Alfred McCoy, um acadêmico historiador respeitado da Universidade de Wisconsin–Madisono; o segundo é de Gary Webb, jornalista premiado. Não se trata de “teoria da conspiração” de qualidade duvidosa, que circula em alguns meios. O jornalista Gary Webb, aliás, após sofrer intensa perseguição, apareceu morto em casa com dois tiros na cabeça e a investigação policial estranhamente concluiu que se tratava de “suicídio”[5].

      Não se trata apenas de “corrupção”, mas antes de atividades clandestinas planejadas, que fazem parte de políticas secretas de Estado, visando auferir recursos para o chamado “orçamento negro” (que financia atividades de sabotagem, espionagem etc que todos os serviços secretos e embaixadas realizam), além de ocupação de espaço em setores econômicos estratégicos para fins de “soft power” (e não tão “softred pill”) se engaja na exploração sexual de crianças e na produção de pornografia infantil – uma indústria multi-milionária que também é útil para fins de operações de chantagem (“blackmail”)[6]. É por isso que o império americano tem de ser destruído e é isso, e não outra coisa, que é o “pântano”. E existem indícios de que operações semelhantes ocorram no Brasil – basta lembrar dos detalhes da CPI da Pedofilia e do caso do coronel da PM Pedro Chavarry Duarte, pedófilo envolvido em tráfico de bebês desde os anos 1990[7] e, mesmo assim, posando, sorridente, para fotos ao lado de Bolsonaro[8]. Mas esse é outro assunto.
      (...)
      A questão, enfim, é que cocaína poderia ter sido encontrado em aviões militares americanos, franceses e de outras nações – como já aconteceu[9].

      Num certo sentido, não deixa de ser um escândalo que tenha sido revistada a mala dum membro da comitiva presidencial brasileira e não deixa de ter sido uma afronta à dignidade e a soberania brasileira – e isso mostra o quanto o Brasil sob Bolsonaro está desmoralizado. Resta saber se foi “azar”, como bizarramente declarou o general Heleno[10], ou se fiscalização espanhola sabia o que estava procurando.
      (...)
      Outro escândalo é o amadorismo de não terem sequer se dado ao trabalho de esconder as drogas de forma minimamente decente. Supostamente, as autoridades espanholas exclamaram que “não estava nem mesmo escondido entre as roupas”[12].

      Excluir
    2. Ora, não é fácil um sargento transportar 40 (ou 39?…) quilos de cocaína por instalações militares e colocar tudo isso no avião de um presidente que supostamente já sofreu atentado e conta com um esquema de segurança reforçado. Seria ingenuidade achar que um “marinheiro de primeira viagem” conseguiria, de imediato, tamanha quantidade de cocaína (com valor estimado em 8 milhões de reais). E seria ingenuidade achar que o fez sozinho, sem nenhum conhecimento de superiores militares e sem a existência de um “esquema”.
      (...)
      Então, se o envolvimento do “Deep State” brasileiro com o narcotráfico não é nada novo, é possível, contudo, que, sob o atual governo, essas relações tenham se intensificado. Além disso, é possível ainda que o atual governo seja mais incompentente no que diz respeito às habilidades de disfarçar as coisas – como bem constaram as autoridades espanholas (“não estava nem mesmo escondido entre as roupas”).

      Ora, por meio de Nota Pública, nós avisamos, no dia seguinte ao resultado da eleição, que Bolsonaro não tinha condições de combater o crime organizado, como prometia, por estar mancomunado com ele. O texto de nossa Nota encontra-se em nosso site[17]; contudo, o post original no Facebook, que teve grande número de compartilhamentos foi estranhamente apagado pelo Facebook [18]. Essa nota foi traduzida para várias línguas e divulgada por algumas organizações e veículos estrangeiros [17]. Segue trecho abaixo, que permanece atual:

      " No Plano de Governo de Bolsonaro, na página 32, ele propõe “[r]etirar da Constituição qualquer relativização da propriedade privada, como exemplo nas restrições da EC/81”. Ora, o que é a Emenda Constitucional 81, que ele quer retirar? É a Emenda que que modificou o artigo 243 da Constituição Federal, estabelecendo que “As propriedades rurais e urbanas de qualquer região do País onde forem localizadas culturas ilegais de plantas psicotrópicas ou a exploração de trabalho escravo na forma da lei serão expropriadas e destinadas à reforma agrária e a programas de habitação popular, sem qualquer indenização ao proprietário e sem prejuízo de outras sanções previstas em lei, observado, no que couber, o disposto no art. 5º”.

      Em outras palavras, em defesa da “propriedade privada”, Bolsonaro tornará mais fácil a vida de latifundiários criminosos que usam trabalho escravo e de narcotraficantes.

      Em 2003, Bolsonaro elogiou os grupos de extermínio que atuam na Bahia. Em 2007, seu filho, Flávio Bolsonaro, apresentou projeto de legalizar as milícias no Rio de Janeiro.

      Excluir
    3. É por isso que em outubro, a família mafiosa Abrahão David, ligada à máfia russa e israelense e ao jogo do bicho, manifestou seu apoio ao Bolsonaro. O mesmo Flávio Bolsonaro fez campanha com esses marginais contraventores e participou de caminhada em Nilópolis ao lado de Farid Abrahão David, irmão do bicheiro Farid Abrahão David e de Simão Sessim, primo deste.

      São essas ligações que levam Jair Bolsonaro a defender a legalização dos cassinos e da jogatina. É preciso deixar claro: as atuais milícias e grupos de extermínio fazem parte do crime organizado e são uma tentativa da máfia de disciplinar as operações criminosas, de “pacificar” vizinhanças para que o tráfico possa atuar de forma “civilizada”.

      De que adianta defender a lei e ordem sem combater os grandes barões do crime, o alto escalão da malandragem e da bandidagem? Mas esses barões estão do lado de Bolsonaro – assim como estão ao lado deles os banqueiros e os representantes do globalismo e do submundo financeiro, como Paulo Guedes. "

      Na época em que essas palavras citadas acima foram escritas, ainda não tinha vindo à tona o grau das ligações da família Bolsonaro com os milicianos do Escritório do Crime, suspeitos de assassinar a ativista Marielle Franco (não, ela não foi morta por ser “negra, mulher e lésbica” e sim por denunciar a atuação de milícias mancomunadas com o poder público nas favelas cariocas).
      (...)
      http://novaresistencia.org/2020/06/19/o-aviao-de-cocaina-do-bolsonaro-quais-sao-as-ligacoes-de-bolsonaro-com-o-narco-estado/

      Excluir
  2. "Os judeus eram e são uma religião, mas nunca uma raça" é a conclusão final na qual o judeu M. Fishberg chega em seu livro Die Rassenmerkmale der Juden (As características raciais dos judeus), Munique, 1913.

    Um grande número de opiniões semelhantes de autores judeus poderia ser citado adicionalmente. Entre as opiniões de autores judeus, no entanto, também existem autores opostos. Assim, encontramos no livro de F.A Theilhaber, Der Untergang der deutschen Juden (O declínio dos judeus alemães), Munique, 1911, o notável passagem: "Endogamia garante a única identificação judaica objetiva e mantém a natureza racial judeus, enquanto a adesão à religião judaica representa o aspecto subjetivo de pertencer ao Grupo judeu ". Assim, dentro das próprias fileiras dos judeus, não só se encontra negação, mas também reconhecimento racial como sua própria identificação e diferenciação das populações hospedeiras.

    Muita confusão foi causada pela formulação inadequada da pergunta "Os judeus são uma raça?" o termo "raça", uma raça sistêmica [Systemrasse], como foi estabelecida pela antropologia científica, não pode ser aplicado imediatamente aos judeus. Como ouvimos na palestra do professor Fischer ["Rassenentstehung und alteste Rassengeschichte der Hebraer "(origem racial e história racial mais antiga dos hebreus), Forschungen zur Judenfrage, Volume III, pp. 121- 36], os judeus se desenvolveram a partir de várias raízes. Eles consistem em várias raças que são contrastadas como um elemento estranho às raças de nossa nação. Por meio dessa formulação simples, ainda não compreendemos suficientemente o racismo-biológico problema dos judeus como o encontramos hoje. A história racial dos judeus nos últimos 2.000 anos deve ser levado em consideração. O fenômeno inerentemente surpreendente que um grupo étnico poderia preservar-se por tanto tempo sem território (os teutões perderam sua identidade étnica no sudeste da Europa) norte da África em séculos [1]) foi explicado de maneira muito unilateral simplesmente pelo racial características dos judeus e seu isolamento genético. A comunidade da religião, a educação especial através do Talmud e a idéia de ser um povo escolhido se mantiveram com tanta força que durante o curso da história indivíduos e até grupos de pessoas pudessem ser absorvidos pelos judeus por casamento e conversão sem que haja qualquer mudança nas características dos judeus. Tomado como um todo, os judeus permaneceram isolados racialmente dentro das outras nações.
    (...)
    https://www.resist.com/libertybell/Verschuer-RacialBiologyOfJews.pdf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois entao eu levo a crer que este povo e uma farsa total, pois se nao sao uma raca tambem nao considero eles como uma religiao, o judaismo para mim e uma farsa apenas um escudo o qual os protegeu da assimilacao durante seculos e milenios, apenas um conjunto de leis e codigos, bem diferente das celebracoes cristas que envolve toda uma espiritualidade,o unico ramo que envolve algo mais espiritual e a cabbala sendo este mais considerado um sistema que envolve gematria e magia nao sendo divulgado a toda a comunidade judaica

      Excluir
    2. https://desatracado.blogspot.com/2014/06/rabinos-invocam-maldicao-na-ucrania.html

      Excluir
  3. Uma grande explosão sacode o porto libanês de Beirute (+ Vídeo)
    "Segundo estatísticas preliminares, o número de vítimas ultrapassou 25 e o número de feridos atingiu 2.500", disse o ministro libanês.
    http://sana.sy/es/?p=148614

    Investigadores nucleares russos a caminho de Beirute
    "Esta é a segunda explosão, que me parece a bola de plasma de uma explosão nuclear, observe a cor branca indicando temperaturas extremamente altas - nenhuma explosão convencional queima tão quente. Observe também a grande altura da bola de plasma - ela é mais alta que o silo de grãos. Lembro-me fortemente das armas nucleares de Tianjin há alguns anos atrás."
    https://www.veteranstoday.com/2020/08/04/breaking-israel-nukes-beirut/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confirmado. Com imagens. Foi um ataque judeu aquela explosão em Beirute:

      "A primeira explosão foi causada por um míssil antinavio Gabriel de Israel. A segunda explosão foi causada pelo míssil israelense Delilah de um caça F-16."
      https://www.veteranstoday.com/2020/08/05/breaking-israel-nukes-beirut/

      O Delilah é uma mini bomba atômica.

      "Jeff Smith, da AIEA, confirma que esta é uma explosão nuclear. As mentiras sobre fogos de artifício em navios e fertilizantes são o que sempre recebemos. Você não armazena nenhum dos dois no centro de uma grande cidade como Beirute, sob nenhuma circunstância. Não há muita agricultura em Beirute e eles não comemoram o dia 4 de julho lá.

      A fumaça pode muito bem ser combustível de míssil, o que pode significar que uma instalação de armazenamento de mísseis foi atingida por Israel. Temos a confirmação de Israel de que planejavam atacar Beirute há 5 dias em retaliação aos ataques militares do Hezbollah a Golan, que não foram relatados em nenhum lugar."

      Porta-voz do governo do Líbano disse que foi um navio carregado de fogos de artifícios que explodiu. Nas imagens aéreas da BBC vemos nenhum destroço de navio:
      https://www.youtube.com/watch?v=8cbdSHeiP90

      E o local era alvo marcado pelos judeus:
      https://twitter.com/Partisangirl/status/1290706887395008512/photo/1

      Excluir
    2. Mais sobre o ataque terrorista nuclear covarde de Israel (aquele que luta CONTRA Deus) contra a pobre, indefesa e pacífica Beirute:

      «Depois daquele tipo de nuvem em forma de cogumelo que lembra muito as explosões nucleares, os chamados“ anéis térmicos ”são visíveis nos vídeos dos momentos seguintes, que se transformam em explosão apenas quando são causados ​​de cima para baixo e não quando é uma simples explosão vinda do solo. Isso torna muito provável que a explosão no porto de Beirute tenha sido causada por uma bomba ou um míssil ».

      A afirmação foi feita por um oficial Carabinieri aposentado que, por razões óbvias, deseja manter o anonimato. Mas ele é um especialista em explosivos, tem a patente de emergência NBCR (Nuclear Bacteriological Chemical Radiological) e, acima de tudo, já trabalhou por muito tempo em missões no Oriente Médio.

      Não só revela esse detalhe técnico que sustenta a tese de um míssil com pequena carga nuclear lançado no porto da cidade libanesa que já fez mais de 130 mortos, 5 mil feridos e 300 mil deslocados. Mas acrescenta outros detalhes que corroboram a tese do ataque militar realizado com malícia, precisão e habilidade tão apuradas que fez do Mossad, a contra-espionagem israelense, o suspeito número um.

      No desastre de Beirute, o presidente libanês Michel Aoun apóia esta possibilidade, mesmo com toda a cautela que a diplomacia requer.
      (...)
      https://www.veteranstoday.com/2020/08/07/beirut-massacre-for-a-missile-lebanon-president-and-italian-military-expert-said-thermal-rings-the-proof/

      Também muito interessante Putin dizer isso logo logo após o atentando terrorista nuclear de Israhell (aquele que luta CONTRA Deus) contra a indefesa e pacífica Beirute: "Qualquer ataque com mísseis contra a Rússia será respondido com armas nucleares!" ... o que Putin sabe que não está divulgando?!

      "A verdade é chamada de discurso de ódio por aqueles que vivem da mentira". Não lembra o lema do Mossad: "pelo engano (mentira, falsidade) farás a guerra"?!

      Excluir
    3. Israel destrói Beirute Oriental com 'nova arma'

      O primeiro primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, autorizou um ataque contra um depósito de armas do Hezbollah usando uma nova arma que foi testada por sete meses na Síria. Não se sabe se o segundo primeiro-ministro, Benny Gantz, deu o seu consentimento.

      A impacto foi realizada em 4 de agosto de 2020, no local exato designado por Benjamin Netanyahu em seu discurso às Nações Unidas em 27 de setembro de 2018 [ 1 ].

      Não se sabe qual arma foi usada. No entanto, ele já foi testado na Síria desde janeiro de 2020. É um míssil com um componente nuclear tático em sua ogiva que causa um cogumelo de fumaça característico das armas nucleares. Obviamente, não é uma bomba atômica no sentido estratégico.

      A arma foi testada na Síria em uma planície no campo e depois no Golfo Pérsico na água contra navios militares iranianos. (*)

      Israel ativou imediatamente suas redes na mídia internacional para encobrir seu crime e dar crédito à idéia da explosão acidental de um estoque de fertilizantes.

      Como costuma ser o caso, os falsos culpados são nomeados e a máquina de mídia internacional repete essa mentira repetidamente, na ausência de qualquer investigação.
      (...)
      Desta vez, várias embaixadas realizaram pesquisas, incluindo a coleta de amostras de grãos e filtros de ar de ambulâncias que foram imediatamente ao local. Eles já estão sendo examinados em seus respectivos países.
      https://www.voltairenet.org/article210674.html
      ACESSEM O SÍTIO PARA CONFERIR AS IMAGENS E VERIFICAREM POR VOCÊS MESMOS QUE FOI UM ATAQUE NUCLEAR, OU ALGO SIMILAR.

      (*) VEJAM SE O ATAQUE DE ISRAEL NA SÍRIA NÃO TEM AS MESMAS CARACTERÍSTICAS DO ATAQUE A INDEFESA BEIRUTE:
      https://www.voltairenet.org/IMG/mp4/syrie.mp4

      Também muito interessante Putin dizer isso logo logo após o atentando terrorista nuclear de Israel (aquele que luta CONTRA Deus) contra a indefesa e pacífica Beirute: "Qualquer ataque com mísseis contra a Rússia será respondido com armas nucleares!" ... o que Putin sabe que não está divulgando?!

      "A verdade é chamada de discurso de ódio por aqueles que vivem da mentira". Não lembra o lema do Mossad: "pelo engano (mentira, falsidade) farás a guerra"?!

      Excluir
    4. Os fatos estão ficando cada vez mais bizarros! Veja as mais recentes informações da covarde agressão sofrida por Beirute:

      Israel planejou o ataque nuclear em Beirute com anos de antecedência, exatamente como o fizeram

      Veterans Today recebeu isso de uma fonte de inteligência que sabe exatamente como o ataque nuclear de Beirute foi feito. O que ele também sabe é que Israel planejou esse ataque com antecedência, com anos de antecedência e quem disser que Israel não planeja com tanta antecedência não pode soletrar "Mossad". A chocante verdade sobre o ataque nuclear a Beirute.

      AN = Nitrato de Amônio
      NK = Arma Nuclear

      “Como você sabe que havia de fato aquela quantidade de carga de barcaça de-AN- no porto, ou um único saco dela. Não havia nenhum, apenas o NK, isso é tudo. O resto é uma manobra falsa e bem orquestrada.
      (...)
      Quando você importa e exporta, existem LCs e outros instrumentos de contador (documentos de inspeção SGS que não existiam para esta remessa / impossível) para fornecer garantia ao remetente de que ele será pago e aos compradores receberão as mercadorias que mostrarão todos os detalhes da transação e o intermediário financeiro que cuida do total da fatura FOB.

      Qualquer pessoa olhou para esses documentos para ver quem é o verdadeiro comprador e como ele pagou por isso de fato. Este suposto comprador já mudou 3 vezes em 4 dias e ninguém pensou nisso apenas como uma empresa de fachada israelense que é na verdade fictícia.
      (...)
      Veja como o Mossad ou a CIA orquestraram o golpe.

      - eles enviaram algo como sujeira ou pedras em sacos que são falsamente rotulados como AN
      - eles usaram um agente russo / israelense (o chamado Empresário Russo em Cypress) para comprar um navio "pronto para salvar" por moedas
      - eles carregaram o conteúdo falso e fizeram documentos de remessa falsos com um comprador africano falso que ninguém nem verificou se existia ou fez a compra de fato, ou por que ele abandonou os 2 + milhões de dólares em mercadorias que pagou por isso. etc etc.
      - depois, eles mudaram a rota do navio de Istambul para a Grécia, para Beirute
      - eles trouxeram um monte de rodas pesadas de pavimentação de estrada e racharam o convés do navio e, em seguida, pagaram um grupo de agentes / funcionários libaneses no porto e descarregaram os sacos de areia com rótulos falsos na costa,
      - então eles afundaram o navio e esperaram 2 dias antes que a falsa decisão do tribunal viesse para fortalecer seu álibi e colocar a culpa no Hezbollah.
      (...)
      Se fosse de fato AN com alta consistência, o “Hizb” ou dezenas de milícias e gangues de contrabandistas teriam invadido o local nos primeiros meses de armazenamento. Ter 17 primos que teriam feito isso. Eles conhecem cada fenda de cada porto em “Leb” e o que há nele, será na semana seguinte passando de Daboussieh para “Syr” e obter um preço premium por isso.

      Os agentes de Israel estão continuamente no porto, na verdade eles dirigem o porto, todos sabem disso. Você acredita que eles não verificam e auditam os manifestos de embarque e rastreiam desde o porto de origem para quase todos os países do Oriente Médio ... comum. Um dia terei tempo de publicar minhas experiências horríveis com o israelense sobre esse problema de rastreamento de remessas.

      Fonte falsa da Geórgia, comprador falso, navio de resgate falso, conteúdo falso para história de capa que foi adiada para uso devido a uma decisão judicial. O único negócio real é um pedaço de “NK” e eu não descartaria a ação dos EUA aqui junto com os israelenses. ”
      https://www.veteranstoday.com/2020/08/07/source-israel-planned-the-nuke-attack-on-beirut-years-in-advance-exactly-how-they-did-it/

      Com um Líbano sob pressões e chantagens econômicas israelo-americanas há décadas, fica assim sem economia para pagar bons salários, por conseguinte, abre as portas para subornos às autoridades portuárias para ajudar-lhes a complementar seu salário miserável. Situação que cria condições para o Mossad introduzir e ocultar um mininuke (mini artefato explosivo nuclear) nas instalações portuárias de Beirute.

      Excluir
  4. Depois de anos de revisoes historicas sobre os males que afetam a humanidade em varios campos da vida, cheguei a pergunta; e possivel culpar uma raca por todos os males do mundo? A resposta e SIM, pois aqueles que conhecem a fraqueza humana e nao faz nada para ajudar,mas tira proveito desta nao e nada mais que um ser desprezivel, logo no inicio dos Protocolos lemos, (raros sao os que nao arriscam o todo em beneficio proprio) (os fins justificam o meio) e por ai vai um show de vilania, o fato e que todas as correntes libertarias universal sao de autoria judaica, e justamente essas atacam as fundacoes e os pilares para uma humanidade mais saudavel e evoluida,nao porque faca parte de uma agenda ou alguma conspiracao mas por que estas sao o reflexo do rebelde espirito judaico, nao se sujeitam a regras que nao sejam a deles, ironizando as regras alheias, eles sempre foram minoria por que queriam assim, todos esse ataque contra a humanidade e fruto dessa rebeldia, ah mas existe judeu bom, sim existe mas sempre vai aflorar o seu espirito de contestador,instigador fazendo os mais credulos a questionar coisas que sequer dever ser posta a prova, no Holocausto morreram apenas os pobres, ou seja a maioria pagou pela minoria mais uma vez, Rothschilds e turminha fugiram, imaginem uma ONU verdadeira imaginem todo o poder do capital mundial ajudando os famintos da africa, o fim dos conflitos que eles mesmo causam, imaginem uma corrente do bem verdadeira que todos esses orgaos internacionais que eles mesmos criaram ajudando a humanidade eles poderiam mas nao querem fazer,pois nao sao os eleitos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por aí mesmo. O mundo seria muito diferente. Deixo essas leituras para você e todos os interessados:

      Cabala – Como o sexo se tornou nossa religião
      https://desatracado.blogspot.com/2014/03/a-cabala-judaica-e-o-sexo-promiscuo.html

      A Nova Ordem Mundial é regresso ao Judaísmo Totalitário
      https://desatracado.blogspot.com/2014/03/a-nova-ordem-mundial-e-o-judaismo.html

      O que é a Democracia?
      https://accao-integral.blogspot.com/2020/08/o-que-e-democracia.html

      Judaísmo ou Paganismo?
      https://desatracado.blogspot.com/2017/07/judaismo-ou-paganismo.html

      A mentira dos valores comuns judaico-cristãos
      https://desatracado.blogspot.com/2018/06/a-mentira-dos-valores-comuns-judaico.html

      Para reflexão
      https://desatracado.blogspot.com/2018/06/para-reflexao.html

      O Anticristo marcha
      https://desatracado.blogspot.com/2018/03/o-anticristo-marcha.html

      Excluir
  5. 1) Sacrifícios humano: aqui diz de forma "folclórica/metafórica/teatralesca", o que está contido na tradição cultural histórica e teológica judaica:
    https://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/4119065/jewish/O-Sacrifcio-de-Yitschac.htm

    2) Outra pérola da tradição religiosa judaica:
    D'us praticamente é semelhante à de Moloch (ou são o mesmo), principalmente em passagens como a de 2ª Reis 2: 23-25, onde D'us envia ursas para devorarem 42 crianças porque debochavam da careca do profeta Eliseu.

    3) São Simão de Trento foi uma criança de dois anos e meio que viveu na cidade de Trento, cujo desaparecimento e assassinato foram atribuídos aos líderes da comunidade judaica da cidade.
    https://www.bunkersub.com/2017/09/sao-simao-de-trento-o-santo-proibido.html

    4) Vejam que lindinho! Judeus para "zerarem" seus pecados e transgressões do ano anterior, jogam pedacinhos de pão pros peixinhos comerem. Não é fofo?
    https://www.megacurioso.com.br/fotografia/69962-15-rituais-fascinantes-que-os-judeus-ortodoxos-praticam-em-israel.htm
    Nem vou falar do kaparot. E cadê aquelas feministas histéricas denunciarem a ritualística do casamento judaico?

    5) Palestinos protestam na sexta-feira depois que judeus sacrificam cordeiros perto do Monte do Templo. O Tribunal Distrital de Jerusalém aprovou o ritual ordenado pela Bíblia (BÍBLIA NÃO! TORÁ) de matar o cordeiro pascal não no Monte do Templo, o local mais sagrado para os judeus, mas logo abaixo, no complexo de Davidson.
    https://www.timesofisrael.com/palestinians-to-protest-friday-after-jews-sacrifice-lambs-near-temple-mount/
    Sacrificam pobres e indefesos animais para "pagar" por seus pecados, coisa típica de gente metida a bem espertalhão, covarde mesmo.

    6) https://vk.com/marco.antoniof?z=photo585869682_457239276%2Falbum585869682_00%2Frev

    7) https://3.bp.blogspot.com/-7sBoimT8K8s/UFeEVRQqBcI/AAAAAAAAi1Q/1RXxTVF5qpM/s1600/ritual-circuncisao.jpg

    ResponderExcluir
  6. Bolsonaro, Olavo, Pedofilia e Seitas Macabras
    -------------------------------------------------------------
    O advogado de Bolsonaro fez parte de uma “seita satânica” nos anos 1990. Wassef já teve até prisão decretada pelo assassinato de crianças e hoje é suspeito de envolvimento com milícias. Mas as milícias e a seita possuem pelo menos uma coisa em comum

    Como assim? Leia mais e entenda a história.
    http://novaresistencia.org/2020/06/19/bolsonaro-olavo-pedofilia-e-seitas-macabras/

    ResponderExcluir
  7. Judeu escravisou Hebreu. Hehehe...Em livros apócrifos que deveriam estar no compêndio da Bíblia, dizem que Noé nasceu branco entre os negros que habitavam esta nossa terra plana. Com esta mistura de branco com preto nasceu Jaffe Branco, Sem mulato e Can preto. Sem era mulato bem para o lado preto. Com este fato conclui-se então que o verdadeiro povo Hebreu era e é negro. Judeu foi um grupo formado na antiga Khazária, sob ordem do rei Bulan, em conversao à religião dos negros hebreus, já em diáspora pelo mundo principalmente fugidos para a África. Para se cumprirem as maldições Dt 28 e Lv 26 foram trazidos para as américas como escravos pelos antigos Khazarianos (brancos Askhenazis) que roubaram a identidade dos descendentes negros de Jacó. Tinham que cumprir os 400 anos de escravidão ditos a Abraão. Dizem que isto foi no Egito. Mentira. No egito foi um período curto com interferência do Criador.

    ResponderExcluir
  8. Conhecem o Museu Mleeta no Líbano?

    O Museu da Resistência do Hezbollah ou Marco Turístico da Resistência, como é oficialmente conhecido, é um museu de guerra ao ar livre (precisou ser assim para poderem colocar a enorme quantidades de tanques israhellenses destruídos) criado pela organização militante islâmica Hezbollah para comemorar as batalhas que travaram contra as tropas israhellenses dentro e ao redor do local que o museu ocupa hoje. O museu está localizado na cidade de Mlita, no sul do Líbano, 50 quilômetros ao norte da fronteira entre o Líbano e a Palestina. Mleeta foi um dos locais mais importantes da resistência libanesa. Entre 1982 e 2000, esta região foi acaloradamente disputada entre as forças do Hezbollah e os militares israhellenses, o que acabou levando à retirada deste último do Líbano. O bizarro parque temático com centro de propaganda, inaugurado em 2010, cobre cerca de 60.000 metros quadrados de caminhos ondulantes ao ar livre e áreas arborizadas.

    https://mleeta.com/mleeta/eng/material/article5.html

    Outra exposição chamada “Monte dos Mártires” apresenta um jardim decorado com armas e mísseis, dedicado aos mártires da organização que morreram lutando contra Israel.

    O Hezbollah tem planos de expandir as instalações para os visitantes do parque com piscinas, spas, playgrounds, hotéis e áreas de camping para que as pessoas "possam vir aqui passar as férias", informando que o sul do Líbano está privado desse tipo de recreação há décadas. Também há planos para um teleférico que conecte o parque e a cidade de Mleeta à cidade vizinha de Sojod.

    Imagens do museu do holocausto de merkavás:
    https://www.youtube.com/watch?v=qr8A2SsyY74

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante o museu. Mas por que será é desconhecido do grande público?

      Excluir
  9. Ola Cobalto, abaixo no link esta um breve relato do monopolio de diamantes, onde nao sou eu nem algum site anti-semita esquisitoide afirmando mas um site oficial dos eleitos, quando li me lembrei na cena final do filme diamantes de sangue, quando a enorme gema chega a Antuerpia.
    http://www.morasha.com.br/historia-judaica-moderna/os-judeus-e-a-industria-dos-diamantes.html

    ResponderExcluir
  10. EUA, Israel e Beirute
    de Taxi

    Onde quer que haja assassinato em massa no Oriente Médio , você encontrará a impressão digital israelense. E sempre foi assim para sempre.

    Repetidas vezes, desde 1948, Israel demonstrou que resolve todos os seus problemas regionais com soluções terroristas violentas que mudam a equação política e geoestratégica a seu favor. Repetidamente, há sempre um grande governo ocidental que se beneficia e apóia esse terrorismo israelense e, no caso da recente e terrível explosão no porto de Beirute, agora também conhecido como 'Beirutshima', são os EUA que se beneficiam muito bem como Tel Aviv.


    Desde 1948, o Porto de Beirute há muito é um alvo marcado para destruição por Israel. Há muito tempo é o sonho molhado de Israel destruir este porto movimentado e laborioso, originalmente construído pelos antigos fenícios. Isso ocorre porque o Porto de Beirute representa a maior competição comercial para o Porto de Haifa de Israel, portanto, uma ameaça constante para a lucrativa economia marinha de Israel. Além disso, o Porto de Beirute é uma tábua de salvação bem estabelecida e crucial para as necessidades diárias de energia e sustento do Líbano, portanto, destruí-lo torna o governo libanês vulnerável e aberto a um cerco prático de todas as suas decisões políticas e econômicas: uma colonização virtual de O Líbano por seu vizinho e inimigo mais rico.

    Além disso, o Porto de Beirute também representa a maior ameaça geoestratégica para a projeção de poder dos EUA para o leste, onde a China e sua nova operação da Rota da Seda estão se arrastando rapidamente para o oeste e tentando pousar na faixa costeira oriental do Mediterrâneo, bem onde Beirute Docas portuárias. Os EUA, que recentemente forçaram Israel a cancelar seu contato de Haifa com a China, de alguma forma amorteceu o avanço chinês no Mediterrâneo oriental, e o que permanece agora no caminho dos EUA é o Porto de Beirute. Os EUA devem invadi-lo para bloquear o avanço da missão geoestratégica chinesa ou então destruí-lo.
    (...)
    https://platosguns.com/2020/08/06/the-us-israel-and-beirutshima/

    ResponderExcluir
  11. Venezuela condena dois soldados americanos a 20 anos de prisão

    Um tribunal venezuelano condenou dois soldados norte-americanos a 20 anos de prisão por envolvimento em uma tentativa de invasão de praias venezuelanas em maio passado, a fim de realizar ataques terroristas contra as autoridades legítimas do país.

    O procurador-geral da Venezuela, Tarek William Saab, relatou por meio de sua conta no Twitter que os dois ex-militares norte-americanos, Luke Denman e Airan Berry “admitiram ter cometido crimes de conspiração, associação, tráfico ilícito de armas de guerra e terrorismo, tipificados no Código Penal, pelo qual foram condenados a 20 anos de prisão ”.

    Em maio passado, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou a participação de Juan Guaidó, chefe da oposição de direita, na tentativa de infiltrar um grupo de mercenários, incluindo dois americanos, em território venezuelano, com o objetivo de para desestabilizar o país e realizar um golpe.
    http://sana.sy/es/?p=149008

    Vinte anos?! Prisão pérpétua.

    ResponderExcluir
  12. A história de Esty, uma rapariga "não ortodoxa" em busca da liberdade

    A minissérie "Unorthodox", na Netflix, é a história de uma rapariga que recusa ser submissa e foge da comunidade judia ultraortodoxa de Williamsburg, Brooklyn.
    (...)
    https://www.dn.pt/cultura/a-historia-de-esty-uma-rapariga-nao-ortodoxa-em-busca-da-liberdade-12084984.html

    ResponderExcluir
  13. Jornalista denuncia que explosão em Beirute foi causada por ataque à míssil de Israel

    Richard Silverstein (que é judeu) alega que a intenção de Israel foi atacar um depósito de armas do Hezbollah na capital libanesa. "Eles não sabiam (ou se sabiam, não se importavam) que havia toneladas de nitrato de amônio no local", diz

    O jornalista Richard Silverstein, autor do blog Tikun Olam, dedicado desde 2003 à cobertura do conflito árabe-israelense, publicou uma reportagem (*) na terça-feira (4) afirmando que Israel foi o responsável pela explosão que matou mais de 150 pessoas em Beirute, no Líbano.
    (...)
    https://revistaforum.com.br/global/jornalista-denuncia-que-explosao-em-beirute-foi-causada-por-ataque-a-missil-de-israel/

    (*) "Claro, haverá dúvidas. Aqueles que não acreditam na minha fonte. Mas, para eles, aponto duas evidências circunstanciais que são reveladoras. Normalmente, se Israel empreender um ataque terrorista bem-sucedido (como os contra o Irã), ele se recusará a comentar ou um militar ou figura política dirá algo como: Embora nos recusemos a comentar, quem quer que tenha feito isso fez um favor ao mundo.

    Neste caso, Israel negou imediatamente a responsabilidade . Até o Hezbollah supostamente disse que Israel não causou os danos (provavelmente protegendo-se da culpa inevitável que recairá sobre ele por armazenar suas armas próximo a um prédio cheio de material explosivo).

    O segundo sinal revelador é que Israel nunca oferece ajuda humanitária a seus vizinhos árabes. Durante a Guerra Civil Síria, o único grupo a quem Israel ofereceu ajuda humanitária foram seus aliados islâmicos anti-Assad. Israel nunca ofereceu tal ajuda ao Líbano, até hoje . O Líbano é oficialmente considerado um estado inimigo em Israel. Portanto, ter a bandeira libanesa hasteada na prefeitura de Tel Aviv também é extraordinário. Mas o cínico em mim diz que é um ultraje para os israelenses, de repente, desenvolver pena dos libaneses depois que seus líderes causaram esse desastre. Israel choveu mortes e destruição no país por décadas. Para ele fingir empatia agora é o cúmulo da ousadia.
    (...)
    https://www.richardsilverstein.com/2020/08/04/breaking-israel-bombed-beirut/

    Entendemos agora perfeitamente a fala de Putin quando disse:
    "Qualquer ataque com mísseis contra a Rússia será respondido com armas nucleares!" ... Putin sabe, Putin sabe.

    "A verdade é chamada de discurso de ódio por aqueles que vivem da mentira".
    Não lembra o lema do Mossad:
    "pelo engano (mentira, falsidade) farás a guerra"?!

    "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."
    Joseph Pulitzer (1847 - 1911), judeu nascido na Hungria, foi jornalista e editor de jornal americano que ajudou a estabelecer o padrão do jornal moderno (vix!) e fundou o prêmio de jornalismo de maior prestígio com seu sobrenome.

    ResponderExcluir
  14. "700 membros da indústria musical do Reino Unido assinam carta prometendo nunca criticar os judeus pelos quais todos trabalham"

    "A Jewish Toy Company Hasbro 'Involuntariamente' Vende Boneca Que 'Ofega' Quando Suas 'Partes Privadas' São Tocadas"

    "Descoberta da tumba do sumo sacerdote judeu Caifás que planejou matar Cristo"

    "A primeira ordem dos jesuítas tinha tantos 'conversos' que se tornou uma 'sinagoga de judeus' virtual"

    "Novo livro revela que mais de 70% dos "crimes de ódio" denunciados acabaram sendo trotes"

    "Escravidão quase universal entre as tribos indígenas "nativas americanas" antes da colonização branca"

    "Judeus afirmam que as vítimas ucranianas recém-descobertas do holomodor soviético foram "gaseados" pelos nazistas"

    "'Dezenas de milhares' de pedófilos operam abertamente em Israel todos os anos 'sem nenhum problema'"

    https://christiansfortruth.com/

    ResponderExcluir
  15. "Por que os judeus estão liderando os movimentos nacionalistas alt-direitistas e 'brancos'?"

    "Como a imigração judaica do século 18 destruiu a Inglaterra cristã"

    "Por que há um aumento nos 'crimes de ódio' anti-semitas todos os anos no aniversário de 11 de setembro?"

    "Papa revela estátua glorificando inundação de refugiados e migrantes do Terceiro Mundo na Europa"

    "Judeus admitem inundar a Europa com migrantes para distrair os brancos de abordar a questão judaica"

    "The 'Science Is Settled': Novo estudo prova conclusivamente que a diversidade não é a nossa 'força'"

    https://christiansfortruth.com/category/must-read/

    ResponderExcluir
  16. Como nosso petróleo atiçou a cobiça dos EUA

    Pré-sal poderia abrir grande ciclo de mudanças sociais e criar, na América do Sul, contraponto ao poder de Washington. Era preciso destroçar a aventura — por meio da Lava Jato, do golpe de 2016 e do ultraliberalismo de Bolsonaro- Guedes
    ...
    https://outraspalavras.net/geopoliticaeguerra/como-nosso-petroleo-aticou-a-cobica-dos-eua/

    ResponderExcluir
  17. Tesouros da arte germânica da era da migração popular.

    Uma seleção de obras requintadas de ourives germânicos do período da migração (375 - 568 d.C.) e do período merovíngio.

    https://carolynyeager.net/germanic-art-treasures-peoples-migration-era

    ResponderExcluir
  18. O embaixador de Trump em Berlim criticou a 'mentalidade doentia' da expiação dos alemães pelos nazistas

    Grupos judeus americanos se manifestaram contra a nomeação de Douglas Macgregor como embaixador dos EUA na Alemanha

    Organizações judaicas nos Estados Unidos criticaram o embaixador nomeado pelo presidente Donald Trump na Alemanha, que, em comentários recentemente desenterrados pela CNN, criticou a "mentalidade doentia" dos alemães que expiam "os pecados do que aconteceu em 13 anos de história alemã."

    Douglas Macgregor, um convidado recorrente da Fox News e condecorado veterano de combate, também foi acusado de ter feito uma série de comentários incendiários sobre refugiados, muçulmanos e imigrantes na Alemanha e nos Estados Unidos.

    Em 2018, o Sr. Macgregor disse que a Alemanha tinha uma “mentalidade doentia” de que “gerações após gerações devem expiar os pecados do que aconteceu em 13 anos de história alemã e ignorar os outros 1.500 anos da Alemanha”.

    Ele acrescentou que: “A Alemanha desempenhou um papel crítico na Europa central em termos de defesa e serviço à civilização ocidental. Então, eu acho que esse é o problema.”

    O presidente Donald Trump anunciou sua intenção de nomear o Sr. Macgregor em 27 de julho.

    O Sr. Macgregor também afirmou acreditar que os migrantes muçulmanos, a quem chamou de “invasores”, pretendem transformar “a Europa num estado islâmico”.

    Em 28 de julho, antes da reportagem da CNN, a B'nai B'rith International havia sinalizado preocupações sobre a nomeação após uma declaração do Sr. Macgregor que parecia insinuar que “neoconservadores” a Israel estavam controlando a política externa americana.

    B'nai B'rith declarou: "É importante que os diplomatas americanos não questionem o patriotismo de outros americanos que têm opiniões políticas diferentes das suas, especialmente porque questionar a lealdade judaica à América é um tropo anti-semita."

    Desde que o relatório da CNN foi publicado, outros grupos judeus expressaram preocupação.

    David Harris, o CEO do Comitê Judaico Americano, na sexta-feira instou o Secretário de Estado Mike Pompeo a retirar a nomeação do Sr. Macgregor, afirmando: “É por causa de nosso intenso envolvimento com a Alemanha que ficamos tão preocupados com os relatórios dos últimos dias sobre o Cel Macgregor muitos comentários incendiários ao longo dos anos sobre o governo alemão, o confronto da Alemanha com seu passado nazista, a aliança da Otan, a política de imigração e outros tópicos.”

    Jonathan Greenblatt, o CEO da Liga Anti-Difamação, criticou os comentários de Macgregor sobre a Alemanha nazista e afirmou que seus outros comentários eram "intolerantes e abomináveis".

    Dylan Williams, o vice-presidente da J Street, também criticou o "registro vergonhoso de Macgregor de expressar opiniões profundamente preconceituosas".

    O porta-voz da Casa Branca, Judd Deere, disse que Macgregor era "enormemente qualificado" para servir como embaixador americano na Alemanha, referindo-se ao seu conhecimento da história alemã e prestar serviço militar na Alemanha Ocidental.

    As nomeações diplomáticas devem ser confirmadas pelo Senado dos Estados Unidos, o que normalmente é um procedimento direto.

    No entanto, Bob Menendez, membro de Relações Exteriores do Senado, disse que a história de declarações problemáticas de Macgregor o desqualificava para servir em qualquer posição oficial e pediu a outros senadores que rejeitassem sua indicação.

    Ele declarou: "As declarações públicas do coronel MacGregor ao longo dos anos sobre imigração, muçulmanos e nosso relacionamento com a Alemanha deveriam desqualificá-lo para qualquer cargo governamental, muito menos para representar os Estados Unidos como embaixador. Mesmo que suas opiniões reflitam as do presidente Trump, é incumbência de todo o Senado, incluindo os republicanos do Senado, rejeitar este nomeado."
    https://www.thejc.com/news/us/trump-s-german-envoy-appointee-said-it-was-sick-germans-should-atone-for-nazi-past-1.505609

    ResponderExcluir
  19. Você já se perguntou por que as pirâmides e templos egípcios não são mencionados na Bíblia? Você sabia que o Egito é mencionado na Bíblia cerca de seiscentas vezes ? O número é fenomenal e desconcertante ao mesmo tempo, pois ninguém pode revisitar o Egito tantas vezes e nunca se referir a um de seus ícones antigos; as pirâmides.

    https://ashraf62.wordpress.com/2016/07/24/why-are-the-pyramids-not-mentioned-in-the-bible/

    ResponderExcluir
  20. Por que as pirâmides não são mencionadas na Bíblia? Você acredita que a Bíblia é absolutamente infalível? Você acha que as histórias bíblicas refletem a história real? Por histórias bíblicas, quero dizer as dos israelitas. E, acima de tudo, a notória história do Êxodo. Visto que eram reverenciados como uma longa linha de profecias cumpridas, cada uma das histórias israelitas dependia da seguinte. E assim, se uma delas não é verdadeira, nenhuma delas é. Quase todo crente na Bíblia nos últimos dois mil anos foi feito de tolo. Para todas as histórias israelitas, incluindo a de Abraão, José e Moisés nunca ocorreram em solo egípcio. É hora de a verdade nos dar um tapa na cara. É hora de acordarmos de eras de sono. Pois o Egito não conheceu faraós nem israelitas.
    https://www.youtube.com/watch?v=cIA7l0YWlMg
    -------------------------------------------
    Reino Himiarita, uma sequência de guerras e conversões religiosas provando que é falso a expressão "judaico-cristão":
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Reino_Himiarita
    -------------------------------------------
    Até que ponto podemos razoavelmente tratar as histórias da Bíblia como eventos históricos reais? Em uma recente visita a Tel Aviv, eu tive uma entrevista fascinante com o Dr. Ze'ev Herzog, um distinto arqueólogo israelense e uma figura importante no debate sobre a “historicidade” da Bíblia Hebraica, ou o que os cristãos chamam de Antigo Testamento. Este é um assunto que me intriga há anos e é um fio condutor importante no meu projeto atual. Eu não poderia ter pedido uma orientação acadêmica melhor sobre um tópico complicado.
    (...)
    O que inicialmente atraiu meu interesse em conhecer o Dr. Herzog foi um artigo que ele escreveu em 1999 no Ha'aretz , um importante jornal centrista israelense, que precipitou uma tempestade de debates entre os intelectuais israelenses e o público em geral. O artigo era intitulado 'Desconstruindo as Muralhas de Jericó' e começava com as seguintes palavras:

    Isso é o que os arqueólogos aprenderam em suas escavações na Terra de Israel: os israelitas nunca estiveram no Egito, não vagaram pelo deserto, não conquistaram a terra em uma campanha militar e não a transmitiram às 12 tribos de Israel . Talvez ainda mais difícil de engolir é o fato de que a monarquia unida de Davi e Salomão, que é descrita pela Bíblia como uma potência regional, era no máximo um pequeno reino tribal. E será um choque desagradável para muitos que o Deus de Israel, Jeová, tinha uma consorte feminina e que a religião israelita primitiva adotou o monoteísmo apenas no período de decadência da monarquia e não no Monte Sinai. A maioria daqueles que estão engajados em trabalhos científicos nas esferas interligadas da Bíblia,
    (...)
    http://noahkennedy.net/zeev-herzog-and-the-historicity-of-the-bible/
    -------------------------------------------
    Este site apresenta pesquisas de vanguarda na área do Período Amarna no Egito e sua relação com o Israel bíblico. Esta pesquisa oferece atualmente o maior potencial para um aprimoramento profundo em nossa compreensão das origens do Judaísmo e do Cristianismo, bem como nossa capacidade de reconciliar a Arqueologia e a Bíblia.
    http://www.domainofman.com/
    -------------------------------------------
    Foram encontradas rodas de carruagem no fundo do Mar Vermelho?

    Alegações de que os arqueólogos descobriram a carruagem do Faraó e os ossos de cavalos e homens sob o Mar Vermelho vieram de notícias falsas.
    (...)
    https://www.snopes.com/fact-check/chariot-wheels-found-bottom-red-sea/

    ResponderExcluir
  21. "Desconstruindo as paredes de Jericó" por Ze'ev Herzog
    Reimpresso na Revista de Arqueologia Bíblica da Revista Ha'aretz / Data original: outubro de 1999

    Após 70 anos de intensas escavações na Terra de Israel, os arqueólogos descobriram: Os atos dos patriarcas são histórias lendárias, não peregrinamos no Egito nem fizemos êxodo, não conquistamos a terra. Nem há qualquer menção ao império de Davi e Salomão. Aqueles que se interessam sabem desses fatos há anos, mas Israel é um povo teimoso e não quer ouvir sobre isso.

    Isso é o que os arqueólogos aprenderam em suas escavações na Terra de Israel: os israelitas nunca estiveram no Egito, não vagaram pelo deserto, não conquistaram a terra em uma campanha militar e não a transmitiram às 12 tribos de Israel. Talvez ainda mais difícil de engolir é que a monarquia unida de Davi e Salomão, que é descrita pela Bíblia como uma potência regional, era no máximo um pequeno reino tribal. E será um choque desagradável para muitos que o Deus de Israel, YHWH, tinha uma consorte feminina e que a religião israelita primitiva adotou o monoteísmo apenas no período de declínio da monarquia e não no Monte Sinai.

    A maioria daqueles que estão envolvidos no trabalho científico nas esferas interligadas da Bíblia, arqueologia e da história do povo judeu - e que uma vez foram a campo procurando provas para corroborar a história da Bíblia - agora concordam que os eventos históricos relacionados com os estágios do surgimento do povo judeu são radicalmente diferentes do que essa história conta.

    O que se segue é um breve relato da breve história da arqueologia, com ênfase nas crises e no big bang, por assim dizer, da última década. A questão crítica desta revolução arqueológica ainda não gotejou para a consciência pública, mas não pode ser ignorada.
    (...)
    http://www.freerepublic.com/focus/news/704190/posts

    ResponderExcluir
  22. Asherah, a Deusa Proibida (de Israel)

    Para a maioria das pessoas que lêem a Bíblia, a idéia de um único Deus de Israel, Yahweh, parece ser clara. No entanto, descobertas arqueológicas das últimas décadas vem demonstrando que Yahweh nem sempre esteve solitário. Antes da ascensão do monoteísmo em Israel, o Deus Yahweh fazia parte de um contexto politeísta onde havia um panteão de Deuses e Deusas, sendo que provavelmente foi adorado ao lado de sua consorte, Asherah.

    Reconstruir a presença da Deusa Asherah na vida de mulheres e homens no Antigo Israel é um esforço de, a partir de uma perspectiva feminista e de gênero, trazer elementos que nos ajudem numa maior aproximação do que foram os espaços religiosos e vitais deste povo. Esta reconstrução é algo necessário, uma vez que estamos diante de textos sagrados marcados pelo sistema patriarcal que projetou historicamente um Deus masculino, legitimando práticas e funções masculinas, com isso silenciando as mulheres, suas representações sagradas, tudo aquilo que pudesse lhes garantir espaço e voz. Por isso, faz-se necessário a nossa reflexão “voltar a um ponto anterior ao monoteísmo patriarcal, até religiões nas quais uma Deusa era a imagem divina dominante ou então era emparelhada com a imagem masculina de uma forma que tornava a ambas modos equivalentes de aprender o divino" (Ruether, 1993, p. 46).
    (...)
    https://www.abiblia.org/ver.php?id=1219

    ResponderExcluir

"Numa época de mentiras universais, dizer a verdade é um ato revolucionário."
George Orwell

"Até que os leões tenham seus próprios historiadores, as histórias de caçadas continuarão glorificando o caçador."
Eduardo Galeano

Desejando, expresse o seu pensamento do assunto exposto no artigo.
Agressões, baixarias, trolls, haters e spam não serão publicados.

Seus comentários poderão levar algum tempo para aparecer e não serão necessariamente respondidos pelo blog.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

Agradecido pela compreensão e visita.