quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Eles avisaram

Leiamos reflexivamente uma fala, na verdade, uma verdadeira profecia de Joseph Goebbels, herói da resistência européia à degradação e escravização humana pela pluto-maçônica-siono-vulgocracia:

    
Paul Joseph Goebbels, com a filha no colo, foi um político alemão e Ministro da Propaganda do Reich na Alemanha Nacional-Socialista de 1933 a 1945. Nasceu em 29 de outubro de 1897, Rheydt, Alemanha. Falecimento: 1º de maio de 1945, Berlim, Alemanha.

“…A Guerra se aproxima de seu fim. A insanidade que as potências inimigas provocaram sobre a Humanidade já passou do seu ponto culminante na qual esta guerra se refere. A única coisa que deixará para trás de si, e em todo o mundo, será somente um indescritível sentimento de vergonha e de desgosto. E não pode ser de outro modo. A artificialmente construída e corrompidamente mantida coalizão entre plutocracia e bolchevismo terminará por se romper.”

“A Alemanha acabará sendo dividida. A Áustria acabará sendo livrada de seu próprio destino. Os sovietes estenderão sua influencia até o Atlântico. A Inglaterra tarde ou cedo perderá a totalidade de seu império. Até os EE.UU. logo pensará diferente sobre este estremecedor fenômeno mundial. Guerras raciais internas e uma decadência indetível lhes fará perder seu prestígio e poder mundial.”

“Aconteça o que acontecer, a Alemanha renascerá em poucos anos depois desta guerra. E não será só por seu próprio esforço. A Alemanha é tão essencial e indispensável para a Europa que até nossos próprios atuais inimigos terão que impulsionar sua reconstrução. Nossos campos e províncias destruídas serão repovoadas em novas cidades e povos… Voltaremos a ser amigos de todos os povos de boa vontade que habitam a terra e junto com eles faremos cicatrizar as feridas que deformam o nobre rosto de nosso continente.”

“Toda a Europa e o mundo participará dos avanços que demos à Ciência. Mas a pergunta decisiva é se neste mundo mais novo e brilhante viverão também pessoas mais felizes. Se nossos inimigos impõem sua vontade, a humanidade naufragará em um mar de sangue e de lágrimas. Haverá guerras e mais guerras que acontecerão praticamente sem interrupção. Sem dúvida serão mais reduzidas e mais isoladas geopoliticamente que esta guerra porque já ninguém se atreverá tão irresponsavelmente a provocar uma catástrofe semelhante a atual. Mas se bem que poderão ser guerras mais reduzidas e também serão tanto mais desonrosas. A honra no campo de batalha será definitivamente sepultada pela fria e sistemática decisão de matar e destruir a qualquer preço.”

“Os homens se matarão por possuir as coisas mais supérfluas e banais. As plutocracias naufragarão em uma desesperada corrida para dar cada vez mais luxos à humanidade corrompida pela comodidade ou pela política do pão-e-circo“. E finalmente as plutocracias terminarão por não poder dar de comer à uma população cada vez mais numerosa. Haverá outra vez fome dos desempregados. E virá outra vez o bolchevismo oferecendo tentadoramente as mesmas soluções falsas que ofereceram à nós diante desse monstruoso monumento ao fracasso e à ignomínia que foi a república de novembro.”

“E aqueles que queiram remediar esta situação não terão outra alternativa que ver o que nós fizemos e ver aquilo pelo qual seguiremos lutando até o amargo final. Aqueles que queiram melhorar este mundo decadente e corrupto terão que compreender que a plutocracia e o bolchevismo não são os únicos caminhos transitáveis para livrar a Humanidade da miséria e do fracasso. Por que há um terceiro caminho que é o nosso, que é o único e o melhor e que é aquele que Adolf Hitler nos apontou.”

“Virão homens que ainda sem nos mencionar, porque lhes estará proibido ou porque temerão fazê-lo, tentarão transitar por este caminho nosso. E serão combatidos e traídos da mesma forma que nós fomos traídos. Mas no final venceremos porque o bom e o verdadeiro sempre triunfam neste mundo.”

Berlim, 19 de Abril de 1945.

Joseph Goebbels

Errou? Mentiu? Exagerou? Manipulou? Acaso é o Nacional-Socialismo culpado pelo caos, pela degradação social, política, moral, espiritual e econômica atual? Se não é, quem é?

Abraços

10 comentários:

  1. Temo que Goebbels tenha errado em um ponto: o futuro da Alemanha não parece menos desgraçado que o das demais nações ocidentais! É que destruíram a coluna que sustentava e guiava aquele povo: a Prússia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As duas guerras mundiais no início do séc. XX foram na verdade uma guerra só em duas partes e a Segunda Guerra de 30 Anos Contra a Alemanha. É um povo forte, com capacidade de reconstrução incrível. E isso dá inveja e ódio em muitos.

      Abraço

      Excluir
  2. Oi Carlos; como sempre, bem esclarecedores seus post, e para mim é triste ver algumas fontes raras e preciosas como estas e outras, se perderem no tempo.

    Fica aqui algumas dicas, se quiser aceitar é claro, de alguns erros que eu cometia e vejo que você faz o mesmo ?

    - Procure criar títulos mais complexos sobre o tema
    Exemplo: em vez de "Eles avisaram" pode ser: "Profecia de Joseph Goebbels, previu à degradação e escravização humana pela Maçonaria e Sionismo"

    - No caso da buscas no Google; as palavras: "Profecia, Joseph Goebbels, Maçonaria e Sionismo" funcionarão como palavras chaves, se colocarão primeiras entre as primeiras paginas do GOOGLE.

    No meu exemplo, para otimizar essa postagem olha o título que usei:

    -O Número da Besta, Imagem da Besta e Marca da Besta, saibam as diferenças ? -
    Repare que por parecer exagerado, utilizei as três palavras chaves completas "marca da besta" "número da besta" e "imagem da besta".

    Ou melhor em um único post; chamei a atenção para três temas que geralmente é encontrada uma de cada e cada posts por ai.

    Quando digitarem no Google uma destas palavras chaves na procura; meu post aparecerá e ainda entre os primeiros.

    Procure pela palavras "Imagem da besta" no seu navegador e faça o teste:

    - Lembrando que as palavras chaves também devem estarem colocadas nos comentário do post (140 palavras só) e dos LINKS, podendo retirar as palavras menos importantes como "por, a, ao, até e etc".

    Suas postagens podem ter até uma boa saída na hora que as produz, simplesmente porque é atendida pelos leitores já ligados á seu blog pelas redes sociais, más com o tempo; elas somem das estatistificas; não é ?

    Procure escrever seus post no WINDOWS LIVE WRITE, nele além de você, criar posts mais bonitos, você pode salvá-los no seu PC, e num futuro se derrubarem seu blog, nada ficará perdido; pois tudo que escreveu; está lá no seu PC.

    Se tiver alguma dúvida; me avise; abraços !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinha esquecido desse detalhe, agradecido.

      Abraço

      Excluir
  3. Cada vez que vejo uma citação como essa com tamanha verdade e força fico impressionado. Hitler, Goebbels e Goering eram homens à frente de seu tempo, tinham exata noção contra quem e o que lutavam, tinham ideais sólidos, grandes planos... Infelizmente caíram. Cobalto, obrigado por partilhar conosco essa fala de Goebbels. Se tiver mais dessas joias atemporais, ponha no blog para nós. Abs.

    ResponderExcluir
  4. Antes de Goebbels, Proudhon, Spooner, Spengler,Silvio Gesell ..... , Cobalto e demais navegantes, já haviam compreendido o empirismo dos métodos escravizantes

    Em A Plan for the Abolition of Slavery http://praxeology.net/LS-PAS.htm , Lysander Spooner afirma:

    “Vocês estão prontos para realizar todo aquele TRABALHO VIL E DESUMANO, que deve ser executado por alguém, mas que os senhores de escravos mais decentes não desejam realizar. No entanto, já ouvimos ao menos uma boa opinião a respeito de vocês. Isto é, a de que não possuem quaisquer preconceitos de cor e de que NÃO SÃO TÃO CONTRÁRIOS À LIBERDADE a ponto de dispensarem dinheiro em troca do auxílio para que um escravo chegue ao Canadá, da mesma maneira que não hesitariam em capturar fugitivos e devolvê-los aos senhores. Se vocês são, assim, tão indiferentes a quem servem, NÓS OS ACONSELHAMOS a, a partir de agora, servir ao escravo, e não ao senhor. Deem meia-volta e AJUDEM o roubado a roubar os ladrões. Aqueles podem pagar melhor que estes. Ajudem-nos a reaver suas POSSES LEGÍTIMAS e seus pagamentos serão satisfatórios. Ajudem-nos a açoitar OS SENHORES DE ESCRAVOS e eles poderão pagar dez vezes mais do que vocês jamais receberam pelo açoite de um escravo. Ajudem-nos a seqüestrar escravos e eles poderão pagar mais do que você receberá ao capturar um fugitivo. Seja HONESTO com os escravos e acreditamos que eles pagarão bem por tais serviços. Sejam desonestos e esperamos que eles os matem.”

    Insistir em SER LIVRE é ótimo, mas NÃO quando o preço é a diminuição da sua capacidade de agir. Ryan Calhoun


    A VERDADE, segundo Silvio Gesell https://de.wikipedia.org/wiki/Silvio_Gesell é morosa como um crocodilo na lama do eterno Nilo. Ela NÃO SE IMPORTA COM O TEMPO; tempo medido pela passagem da vida humana não significa nada para ELA, UMA VEZ QUE É ETERNA. Mesmo assim, ELA possui um AGENTE, O QUAL, mortal como os homens, ESTÁ SEMPRE APRESSADO. Para ELE, tempo é dinheiro; sempre está ocupado e excitado, e seu nome é ERRO. O ERRO não pode esperar calado e deixar o tempo passar. Está constantemente dando e recebendo duros golpes. Está NO CAMINHO DE TODOS e todos estão em seu caminho. É a verdadeira BARREIRA.

    Tendo descoberto a natureza barradora ou bloqueadora do dinheiro, Proudhon levantou o slogan: Vamos combater o privilégio do dinheiro deixando bens e trabalho no mesmo nível do dinheiro. Isso porque dois privilégios, se opostos, se neutralizam. Conferindo aos bens o peso adicional agora do lado dinheiro, fazemos os dois se equilibrarem.

    Tal era a idéia de Proudhon, e para colocá-la em prática ele fundou os BANCOS DE TROCA. Como todos sabem, eles falharam.

    ResponderExcluir
  5. Porém, a solução do problema que iludiu Proudhon é simples o bastante. Tudo o que necessário é abandonar o ponto de vista costumeiro, o ponto de vista do possuidor do dinheiro, e enxergar o problema do ponto de vista do possuidor de bens. Essa mudança de ponto de vista nos permitirá deduzir a solução diretamente. BENS, E NÃO O DINHEIRO, SÃO A FUNDAÇÃO REAL DA VIDA ECONÔMICA. Bens e seus compostos fazem 99% de nossa riqueza, O DINHEIRO APENAS 1%. Assim, tratemos bens como tratamos fundações; não preocuparemos com eles. Aceitaremos bens como aparecem no mercado. Não podemos alterá-los. Se eles apodrecem, quebram, perecem, deixem-nos: ASSIM É SUA NATUREZA. Não importa o quão eficientemente podemos organizar os bancos de troca de Proudhon, NÃO PODEMOS IMPEDIR o jornal nas mãos do jornaleiro de ser reduzido, duas horas depois, a lixo, se falha em encontrar comprador. Além disso, devemos nos lembrar que O DINHEIRO É UM MEIO UNIVERSAL DE ENTESOURAMENTO [*1]; todo o dinheiro que SERVE O COMERCIO COMO MEIO DE TROCA chega aos bancos e fica lá ATÉ QUE seja seduzido para circular PELOS JUROS. E como podemos EQUIPARAR BENS AO NÍVEL DE dinheiro líquido [*2] (OURO) sob os olhos dos poupadores? Como podemos induzi-los, AO INVÉS DE ENTESOURAR DINHEIRO, encher seus baús ou salas com palha, livros, bacon, óleo, peles, guano, dinamite, porcelana?

    E isso é o que Proudhon realmente almejava quanto tentou REDUZIR BENS E DINHEIRO A UM NÍVEL COMUM. Proudhon subestimou o fato de que O DINHEIRO NÃO É APENAS UM MEIO DE TROCA, MAS TAMBÉM UM MEIO DE ENTESOURAMENTO, E QUE dinheiro e batatas, dinheiro e cal, dinheiro e pano NÃO PODEM EM CIRCUNSTÂNCIA ALGUMA serem considerados como coisas de valor igual nos baús dos entesouradores. Um jovem poupando [*3] para a velhice irá preferir uma única moeda de ouro ao conteúdo de um grande armazém.

    Não podemos, então, INTERFERIR NOS BENS, são o fator primário ao qual tudo deve ser adaptado. Mas deixe nos OBSERVAR MAIS MINUCIOSAMENTE O DINHEIRO, pois aqui alguma alteração pode se provar praticável. O DINHEIRO DEVE SEMPRE CONTINUAR COMO NO PRESENTE? DEVE O DINHEIRO, como uma mercadoria, SER SUPERIOR às mercadorias as quais, como meio de troca, É SUPOSTO SERVIR? Em caso de incêndio, inundação, crise, guerra, mudanças de gostos e por aí em diante, APENAS O DINHEIRO DEVE SER IMUNE AOS DANOS? POR QUE O DINHEIRO DEVE SER SUPERIOR AOS BENS QUE DEVERIA SERVIR? E não é ESSA SUPERIORIDADE DO DINHEIRO SOBRE OS BENS O PRIVILÉGIO que vemos ser a causa da mais-valia, O PRIVILÉGIO QUE PROUDHON BUSCAVA ABOLIR? VAMOS ENTÃO ACABAR COM OS PRIVILÉGIOS DO DINHEIRO. NINGUÉM, nem mesmo entesouradores, especuladores, ou capitalistas DEVE CONSIDERAR O DINHEIRO, como uma mercadoria, preferível ao conteúdo dos mercados, lojas, e armazéns. Se o dinheiro não tiver preponderância sobre os bens, se deteriora como aqueles. Deixem-no ser atacado por traças e ferrugem, deixem-no debilitar, deixem-no fugir; e quando estiver prestes a morrer deixe seu possuidor pagar para ter a carcaça esfolada e queimada. Aí, e somente lá, seremos capazes de dizer que dinheiro e bens estão em igual paridade e são equivalentes perfeitos — como Proudhon desejava mantê-los.

    ResponderExcluir
  6. Deixe nos colocar essa vontade em termos de uma fórmula comercial. Diremos: O possuidor de bens, durante o período de estocagem, invariavelmente incorre em perdas de qualidade e quantidade. Além disso, ele tem que pagar o custo de estoque (aluguel, seguro, cuidados e tudo o mais). Quanto isso soma anualmente? Digamos 5% – deve estar abaixo e não acima nesse momento atual.

    Agora QUE DEPRECIAÇÃO TEM UM BANQUEIRO, capitalista, ou entesourador [*4] para debitar ao dinheiro em sua posse ou emprestado? Em quanto diminuiu o valor do baú na Torre de Júlio em Spandau [*5] ao longo dos 44 anos em que ficou guardada lá? Nem um centavo!

    Sendo assim, A RESPOSTA PARA NOSSA QUESTÃO É CLARA, devemos sujeitar o dinheiro à perda que os bens estão sujeitos graças a necessidade de estocagem. O DINHEIRO NÃO É MAIS SUPERIOR AOS BENS; não faz mais diferença se alguém possui, poupa [*6] dinheiro ou bens. Ambos são equivalentes perfeitos, e o problema de Proudhon está resolvido E AS CORRENTES QUE PREVENIAM A HUMANIDADE de desenvolver todos seus poderes são rompidas.

    Notas do Tradutor

    [*1] Na versão em inglês a palavra usada é “savings”, que traduzida ao pé da letra significa poupança. Mas considerando o desenvolvimento da economia, e a influência de Gesell em Keynes (e possivelmente de ambos no tradutor alemão-inglês), Gesell provavelmente não estava querendo se referir à “poupança capitalista” (nos termos de von Mises), na qual o dinheiro é emprestado a juros, e sim ao simples entesouramento do dinheiro, que não rende juros nem cria um fluxo de renda.

    [*2] Na tradução em inglês “ready money”. O jargão econômico “líquido” é mais adequado na visão desse tradutor.

    [*3] A palavra em inglês era “savings”, e decidi traduzir como “poupança”, mesmo sabendo da possível confusão de termos.

    [*4] Aqui o tradutor para inglês usou a palavra “hoard”, que efetivamente significa entesourar. Seria necessária uma consulta à versão original em alemão para clarificar o que Gesell quer dizer com poupança anteriormente e entesouramento agora.

    [*5] Spandau é um distrito de Berlim.

    [*6] O tradutor para inglês usou a palavra “savings” novamente.

    Tradução de Rafael Hotz e Luiz Eduardo do Ó.
    Fonte http://www.libertarianismo.org/index.php/artigos/ordem-economica-natural/


    Liberty is the mother, not the daughter, of order http://web.archive.org/web/20110121172441/http://polycentricorder.blogspot.com/2008/11/what-is-left-libertarianism.html

    Bom domingo a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "A Verdade é morosa como um crocodilo na lama do eterno Nilo. Ela não se importa com o Tempo; tempo medido pela passagem da vida humana não significa nada para ela, uma vez que é Eterna."

      Obrigado e bom domingo a você também. Abraço

      Excluir

"Numa época de mentiras universais, dizer a verdade é um ato revolucionário."
George Orwell

"Até que os leões tenham seus próprios historiadores, as histórias de caçadas continuarão glorificando o caçador."
Eduardo Galeano

Desejando, expresse o seu pensamento do assunto exposto no artigo.
Agressões, baixarias, trolls, haters e spam não serão publicados.

Seus comentários poderão levar algum tempo para aparecer e não serão necessariamente respondidos pelo blog.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

Agradecido pela compreensão e visita.