sábado, 6 de fevereiro de 2016

Protocolos dos Sábios de Sião, ONU, Nova Ordem Mundial

Os Protocolos dos Sábios de Sião são Verdadeiros
Por Gustavo Barroso

        

Os judeus esforçam-se por toda parte e por todos os meios para provar que esse plano, felizmente revelado aos povos civilizados, é uma falsificação. Entretanto, o contrário é que resulta de qualquer estudo documentado e verdadeiro da questão.

As primeiras edições dos Protocolos apareceram na Rússia em 1901 e 1905, sendo rapidamente retirada de circulação e passando quase despercebidas. Todavia, um exemplar foi registrado no Britsh Museum sob o n° 3926 - D - 17. Ali ficou no silêncio e na poeira dos arquivos até que a Revolução Comunista de 1917, destruindo subitamente o maior império europeu com a presença de um maioria de judeus nos estados-maiores bolchevistas, chamou a atenção para o que nele se continha, visto como ali estava preconizada a tática dos revolucionários com 12 anos de antecedência. Foi quando o grande jornal londrino The Times escreveu estas memoráveis palavras: "Se os Protocolos são, na verdade, obra dos sábios de Israel, então tudo o que se puder dizer, empreender e realizar contra os judeus é legítimo, necessário e urgente!"

O impressionante artigo do The Times apareceu no seu número de 8 de maio de 1921. Entretanto, nos seus números de 16, 17 e 18 de agosto do mesmo ano, o referido jornal veio declarar que um correspondente seu em Constantinopla, do qual não dava o nome, descobrira por acaso que se tratava de uma falsificação grosseira, plágio cínico de uma obra aparecida em Bruxelas, em 1865, da autoria do advogado francês Maurice Joly. O curioso é que, segundo revela o jornal National Tidskrift de julho de 1922, na página 74, depois do primeiro artigo do Times, em 8 de maio de 1921, o periódico londrino passara para o controle financeiro de um grande banqueiro israelita ... A razão da mudança de opinião é óbvia ...

O tal correspondente do Times nunca apareceu nem forneceu seu nome; mas o jornal baseou nesse anônimo a tese de que os Protocolos haviam sido compostos pela polícia secreta russa com o fito de propagar no mundo suspeita de vasta conspiração judaica e, assim, justificar as medidas de exceção contra os judeus moscovitas, parafraseando ou plagiando o livro de Maurice Joly.

Essa história cai com dois sopros. Em primeiro lugar, Maurice Joly não se chamava assim e não era francês. Usava esse nome para encobrir sua verdadeira personalidade, costume aliás de posto sempre em prática por certos judeus. Exemplo: o judeu Mordechai é conhecido por Karl Marx; o judeu Bronstein por Trotski; o judeu Finckelstein por Litvinof. Maurice Joly era, em carne e osso, o judeu Moses Joel, que servira em um ministério na França, fora protegido pelo grande judeu Adolfo Isaque Crémieux, fundador da Aliança Israelita Universal, tomara parte na revolução judaico-comunista de Paris em 1871, sobre cuja bandeira vermelha repousa a cabeça do cadáver mumificado de Lenine, fora condenado a dois anos de prisão e se suicidara em 1878. O livro que publicou em Bruxelas, no ano de 1875, e sobre o qual se diz que foram calcados os Protocolos, intitula-se "Diálogos no Inferno entre Maquiavel e Montesquieu."

Essa obra de Maurice Joly, isto é, de Moses Joel, não era original. Fora plagiada de outra quase com o mesmo título "Diálogos entre Maquiavel e Montesquieu", publicada pelo editor Franz Duncker, em Berlim, no ano da Graça de 1850. Seu autor fora o judeu Jacob Venedey, expulso da Alemanha e perseguido pela polícia parisiense, protegido também por Adolfo Isaque Crémieux. Amigo íntimo de Mordechai ou Karl Marx, fundou com ele, em 1847, a organização secreta Liga Comunista dos Trabalhadores. Também fundou na Inglaterra a Sociedade Secreta com o fim de estabelecer o domínio mundial de Israel.

Assim, fica definitivamente comprovado que as duas obras sobre as quais os que afirmam a falsificação dos Protocolos dizem que estes se basearam são obras judaicas, escritas por dois judeus, ambos amigos do judeu Crémieux, fundador da Aliança Israelita Universal, um comunista condenado como tal em 1871 e outro fundador de Sociedade Secretas para o Comunismo e o domínio mundial de Israel. "Não se trata, portanto, de plágios, porém de bordados na mesma tela, emanando do mesmo centro econômico e político."

Aliás, o fim de político de Israel está revelado nesta carta do judeu Baruch Levy ao judeu Karl Marx: "O povo judeu conta tornar-se coletivamente seu próprio Messias! Ele atingirá o domínio mundial pela unificação das outras raças e desaparecimento de suas fronteiras. Estabelecerá uma República Universal, e nessa nova organização, os Filhos de Israel serão o elemento reinante. Eles sabem como influenciar e dominar as massas! O governo de todas as nações escorregará, imperceptivelmente para as mãos judaicas, graças à vitoria do Proletariado. Toda propriedade individual será posta a disposição dos Chefes de Israel que possuirão as riquezas de todos os povos. Isso será o cumprimento da profecia Talmúdica: quando vier o Messias, os judeus terão nas mãos as chaves de todos os tesouros do mundo!"

Esta carta é o resumo do plano exposto nas páginas dos Protocolos. Como também o é a famosa declaração do famoso rabino Reichhorn em 1869: "Há séculos, os filhos de Israel desprezados e perseguidos trabalham para abrir um caminho para o poder. Tocam o fim. Controlam a vida econômica dos cristãos malditos. Sua influência é preponderante sobre a política e os costumes. Na hora que quiserem, marcada de antemão. desencadearão a Revolução que arruinará todas as classes da Cristandade e escravizar-lhes-á definitivamente os cristãos. Assim se cumprirá a promessa de Deus feita ao seu povo."

Die Rothschilds Aktien auf Waterloo, é um filme alemão da UFA Films de 1940 que mostra como a família judaico-maçônica dos Rothschilds conquistaram o seu poder financeiro e assim subjugando nações inteiras:


As provas documentais de W. Creuz, de L. Fry e de Gottfried zur Beck estabeleceram que os Protocolos foram escritos primeiro em hebreu, depois traduzidos em francês e afinal em russo. Eles são a súmula de planos e documentos autênticos judaicos, conservados secretos e compilados pelo judeu Achad-HaAm, que atendia pelo nome de Asher Ginsberg, um dos quatros israelitas que, a 2 de novembro de 1917, ditaram a Balfour a célebre Declaração de direitos dos judeus à Palestina, "cumprimento de um dos objetivos formulados nos Protocolos."

Em 1886, Ginsberg fundava em Odessa a sociedade secreta Beni-Mosheh. Ali, o judeu Bernstein, editor da Free Press de Detroit, nos Estados Unidos, segundo declarou a William Cameron, secretário de Henry Ford, leu, em 1895, os Protocolos em hebreu! Muitas outras pessoas que habitam Odessa por esse tempo asseguram que os Protocolos circulavam de mão em mão naquela cidade.

Na loja maçônica Mizraim, de Paris, havia uma cópia em francês dos Protocolos. O judeu Shapiro, que acudia pelo nome de Joseph Schorst, vendeu-a por 2.500 francos à senhorita Justina Glinska, filha de um general russo, que a fez traduzir em sua língua e a enviou ao general Orgenski, em Petrogrado, pedindo-lhe que a transmitisse ao general Cherevin, Ministro do Interior, afim de que chegasse às mãos do Czar. Cherevin nada fez, porque vivia à mercê de alguns judeus ricos. Em 1896, depois de sua morte, a cópia foi achada em seu arquivo. Schorst ou Shapiro fugiu para o Egito, mas ali foi assassinado.

Perseguida por inimigos inexoráveis, Justina Glinska, foi banida da côrte russa. Exilada em Orel, conheceu ali o marechal da nobreza Alexis Sukhotin, a quem forneceu uma cópia do documento. Este mostrou-a aos seus amigos Stepanor e Sergio Nilus. O primeiro fez circular aos translados. O segundo imprimiu os Protocolos em 1901.

Tudo quanto se predisse em 1901, há 34 anos, se tem realizado ou se vai realizando. Os Protocolos adivinharam tudo ou prepararam tudo? Poderá alguém hesitar na resposta?

Tendo-se dito que os Protocolos haviam sido lidos no Congresso Sionista de Basileia, em 1897, os judeus se defendem, afirmando que eles não figuram nas atas oficiais. É sabido que, em atas, não figuram as coisas secretas ... Além do mais, ouçamos o documentado W. Creuz: "Um dos raros sobreviventes de Congresso, o rabino Marcus Ehrenpreiss de Estocolmo, declarou no Iudisk Tids Krift n° 06, de 1929 que o triunfo de Israel foi predito por Herzl vinte anos antes!" Trinta milhões de cristãos pereceram na Grande Guerra, porém os planos judaicos foram, com efeito, coroados de sucesso. A Rússia foi destruída. Houve uma paz sem vitória. Todas as nações se viram despojadas de suas riquezas. E a Palestina foi entregue aos judeus! A próxima guerra, atualmente em preparo, trará sem dúvida como resultado o aniquilamento completo dos estados cristãos.

Os documentados secretos desse primeiro Congresso Sionista foram entregues ao Governo Russo. Um agente chamado Rastchkowski conseguiu-os, subornando dois judeus que traíram sua raça. Chamavam-se Eno Azev e Rabbi Efrom. O último refugiou-se num convento da Sérvia, onde morreu em 1925. Quando o Governo Russo examinou os documentos comprados, verificou com surpresa que seu texto correspondia ao dos Protocolos. Rastchkowski morreu misteriosamente, depois de haver transmitido informações importantes ao general Kurlow, que estava convencido dele ter sido assassinado. O professor Sergio Nilus foi torturado pela Tcheka por ter divulgado os Protocolos. Morreu em 1929.


Um artigo publicado no The New York Times em 06 de outubro de 1940 (acima), prometia que seria criado uma "Nova Ordem Mundial" no pós-guerra. Que os judeus do mundo todo seriam fundamentais para a construção dessa nova ordem, disse Arthur Greenwood, que foi membro do Gabinete de Guerra do judeu e maçom Winston Churchill na época. Nela, ele também declarou que "a liberdade e emancipação para o povo judeu está amarrado com a emancipação e liberdade para as pessoas em toda parte." Isso significa a subordinação da soberania das nações ao interesse dos judeus.

"Todos esses fatos constituem uma cadeia de aço cujos anéis resistem a qualquer coisa."

Afirma Creuz que a quintessencia do perigo judaico é a camuflagem. Justamente. Raça e religião são as camuflagens com que certos judeus escondem sua ação eminentemente política no seio de qualquer sociedade, com o fito louco do domínio mundial.

Nos limites deste livro não cabe o texto completo dos famosos Protocolos. Vamos, portanto, resumi-los em 22 itens. Por eles se verá como é magistral o programa de bolchevização do mundo, para melhor escravizá-lo e fazê-lo cair sob o domínio inconteste de Israel-Messias:

1° - Corromper a juventude com o ensino subversivo.

2° - Destruir a vida de Família

3° - Dominar os indivíduos pelos seus vícios.

4° - Envilecer as artes e prostituir a literatura.

5° - Minar o respeito pela religião, desacreditando na medida do possível os sacerdotes com anedotas escandalosas a seu respeito, encorajando a alta crítica no sentido de aluir os alicerçadas, crenças e provocando cismas ou disputas no seio da Igreja.

6° - Propagar o luxo desenfreado, as modas extravagantes e as despesas fúteis, eliminando gradualmente a faculdade de gozar das coisas sadias e simples.

7° - Distrair a atenção das massas por meio de diversões populares, jogos e competições esportivas, divertindo o povo para impedi-lo de pensar.

8° - Envenenar os espíritos por meio de teorias nefastas; arruinar o sistema nervoso com uma barulheira incessante; e enfraquecer os corpos com uma propagação do vírus de várias enfermidades.

9° - Criar o descontentamento universal e provocar ódio e desconfiança entre as classes sociais.

10° - Despojar a Aristocracia de suas velhas tradições e de suas terras, gravando estas de impostos formidáveis, forçando-a a contrair dívidas. Substituir a nobreza de sangue pela dos negócios e estabelecer por toda a parte o culto do Bezerro de Ouro.

11° - Envenenar as relações entre operários e patrões com greves e locautes (do inglês lockout), eliminando qualquer possibilidade de acordo para uma cooperação frutuosa.

12° - Desmoralizar as classes superiores por todos os meios e provocar o furor das massas a vista das torpezas e tolices dos ricos.

13° - Permitir a indústria que esgote a agricultura e gradualmente transformar a indústria em especulação louca.

14° - Encorajar a propaganda de todas as utopias para deixar o povo atarantado num labirinto de ideias impraticáveis.

15° - Aumentar os salários sem benefício para o operário, porque, ao mesmo tempo, o custo de vida é majorado.

16° - Fazer surgir incidentes que creem suspeitas internacionais; empeçonhar os antagonismos entre os povos; fazer desabrochar os ódios e multiplicar os armamentos ruinosos.

17° - Conceder o sufrágio universal para que os destinos das nações caiam nas mãos de gente sem valor.

18° - Derrubar todas as Monarquias e estabelecer por toda a parte Repúblicas; intrigar, afim de que os cargos importantes sejam confiados a pessoas que tenham podres e que possam ser dominadas pelo receio de escândalo.

19° - Abolir gradualmente qualquer forma de constituição para que o Bolchevismo as substitua com seu despotismo absoluto.

20° - Organizar vastos monopólios em que sossobrarão todas as fortunas, quando soar a hora da crise política.

21° - Destruir toda estabilidade financeira, multiplicar as crises econômicas e preparar a bancarrota universal. Parar a marcha da indústria. Fazer degringolar todos os valores. Concentrar todo o ouro do mundo nas mãos de algumas pessoas. Deixar grandes capitais estagnados. Em um momento dado, suspender todos os créditos e provocar o pânico.

22° - Preparar a agonia dos Estados, esgotar a humanidade pelos sofrimentos, angústias e privações.

Tudo o que aí está se tem desenrolado ano a ano no mundo, como em obediência a uma disciplina secreta. Como poderiam os Protocolos, depositados no British Museum, em 1905, se fossem falsificados, adivinhar tudo o que tem ocorrido e vai ocorrendo dia e noite?

Os Protocolos são verdadeiros e o programa do Integralismo é grande justamente porque é o contrário do seu programa. A questão judaica nada tem de religioso ou racial, é uma questão política que se reflete em todos os povos. O Integralista precisa conhece-la, afim de poder combater esse gravíssimo perigo que ameça todas as pátrias.

Falsos ou não os Protocolos, o programa do Integralismo nesse combate têm de ser em tudo antagônico a eles. Resumamo-lo para melhor clareza no mesmo número de itens:

1° - Formar o caráter da juventude com o ensino altamente moralizado.

2° - Manter e defender por todos os meios a instituição da Família.

3° - Dominar os indivíduos pelo apelo as suas virtudes e reservas morais.

4° - Subliminar as artes e a literatura

5° - Fazer respeitar as religiões e seus sacerdotes. Afirmar sempre a existência de Deus.

6° - Combater o luxo imoderado, as modas extravagantes e as despesas fúteis, ensinando a gozar das coisas sadias e simples.

7° - Fazer das diversões populares, dos jogos e competições esportivas meios de divertir o povo, educando-o, e não de impedi-lo de pensar em coisas sérias.

8° - Desintoxicar os espíritos das coisas nefastas, mostrando sua inanidade e impedindo sua propagação; tudo fazer para conseguir o equilíbrio do sistema nervoso dos indivíduos; fortalecer os corpos com a higiene e saúde.

9° - Trabalhar contra os descontentamentos, as desconfianças e os ódios entre as nações e entre as classes sociais.

10° - Defender a tradição e a propriedade. Limitar os direitos desta não com impostos absorventes, mas com deveres para com a coletividade. Destruir o culto do Bezerro de Ouro, demonstrando que a nobreza e a grandeza estão nas virtudes e na inteligência, no sacrifício e no sentimento, não no dinheiro e na trapaça.

11° - Tornar claro que o operário não deve ser inimigo do patrão, nem este daquele, sim que ambos deve entender-se, porque a felicidade de ambos depende, não do esmagamento de um pelo outro, porém de sua compreensão.

12° - Moralizar as classes superiores da sociedade, para que o seu desregramento não sirva para provocar o furor das massas e sim para que o seu exemplo lhes sirva de ensinamento.

13° - Não permitir que a indústria esgote a agricultura e se transforme em pura especulação, dirigindo ambas científica e moralmente.

14° - Impedir a propagandas de utopias e ideias subversivas, afim de não perturbar a mentalidade tranquila e ordeira das populações.

15° - Regular os salários, os lucros e o custo da vida pondo termo ao seu desacordo.

16° - Evitar as suspeitas internacionais por meio de uma política exterior clara e reta; trabalhar pelo desaparecimentos dos antagonismos entre os povos; proibir a indústria de armamentos aos particulares.

17° - Acabar com o sufrágio universal elevador das mediocridades e dos aventureiros, instituindo o sufrágio de classe no seio da população.

18° - Não ter a preocupação de derrubar tronos, mas a de organizar o Estado Integral, o Estado Corporativo sob qualquer forma de governo. Afastar dos cargos públicos os homens de mãos sujas.

19° - Combater por meio do Estado Forte os manejos que levam as nações as despotismo sem par do Bolchevismo.

20° - Instituir a estabilidade financeira, evitando as crises econômicas e a consequente bancarrota universal. Regular a marcha da indústria. Impedir a especulação sobre os valores. Combater a superstição do padrão-ouro.

21° - Dar ao Estado a soberania econômica de que foi privado. Fazer circular as riquezas de maneira a livrar o homem de todas as inescrupulosas manobras do Capitalismo.

22° - Dar vida ao Estado, fortalecê-lo para que ele possa diminuir os sofrimentos e angústias do povo oprimido pelo Capitalismo e ameaçado pelo Comunismo.

Dirão que esse programa será para anos e anos.

O anterior e o contrário também se vem delineando através das décadas. Nenhuma grande obra boa ou má se faz da noite para o dia.

A verdade inconstante é que o plano dos Protocolos foi ditado pelo Mal e este, que o combate, pelo Bem. A simples leitura convence disso os menos perspicazes. Ao brasileiro compete escolher entre os Protocolos e o Integralismo.

Retirado de "O que o Integralista deve saber", livro de 1935 escrito por Gustavo Barroso.

Fonte: http://novointegralismo.blogspot.com.br/2014/12/os-protocolos-dos-sabios-de-siao-sao.html

Poderia ser reeditado com o título "O que o Brasileiro deve saber".

Contra fatos, não há troll.


Veja também "Subversão, manipulação e oposição de mentirinha":
http://desatracado.blogspot.com.br/2014/04/subversao-manipulacao-e-oposicao-de.html

"O objetivo deste breve história é mostrar que os protocolos não são uma obra única, sem precedentes na história, mas são o produto de uma herança antiga que permaneceu intacta e inalterada desde pelo menos o meio do primeiro milênio antes de Cristo":
http://www.biblebelievers.org.au/proof.htm

Abraços

23 comentários:

  1. O resumo de 22 pontos dos Protocolos deveriam ser espalhados por todos os postes e portas do mundo, como fez Lutero com suas 95 teses em 1517.

    Propaganda pelo facebook também seria maravilhoso.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://2.bp.blogspot.com/-xW3PggyNdIk/VVnDJwYJXUI/AAAAAAAApiY/0V-BCeWvpIk/s640/saud3.jpg

      Abraço

      Excluir
  2. Ao ler esse seu artigo, eu me lembro de um outro artigo(agora não lembro qual), só que no blog do empregadinho de judeus maçons, Julio Severo, onde dizia que os protestantes não poderiam ser comparados aos católicos, que segundo esses protestantes, foram os responsáveis de perseguirem os judeus.

    Eu entendi que para o ajudante de judeu maçom Julio Severo, e muitos outros protestantes que ajudam os judeus maçons, os judeus devem poupar pelo menos os protestantes nessa sanha judaíca de caça aos cristãos.

    Esses protestantes devem achar mesmo que eles não serão perseguidos pelos judeus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deveria-se perguntar ao suposto cristão, quem os judeus perseguiram.

      Abraço

      Excluir
  3. Parte 1/5

    “A DÍVIDA É O NÓ QUE AMARRA O BRASIL E É A PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELO CENÁRIO DE ESCASSEZ”, ENTREVISTA COM MARIA LUCIA FATTORELLI

    Por Rogéria Araújo, comunicadora da rede Jubileu Sul Brasil.

    Ao longo de muitos anos, a dívida pública brasileira, interna e externa, vem se acumulando e multiplicando. O pagamento dos juros, que se tornam outras dívidas, influenciam diretamente na economia do país. Quem paga essa conta? A população brasileira, e de várias maneiras. Há toda uma trama de interesses envolvendo o processo de endividamento do Estado. A saber: A dívida interna está estimada em quase 4 trilhões de reais e a dívida externa em 546 bilhões de dólares.

    Mas o quê, afinal, devemos, quanto devemos, a quem pagamos, quem realmente ganha com esse endividamento?. Questionamentos como estes poderiam – e podem – ser respondidos com uma Auditoria da Dívida Pública com participação social. O ponto estava incluído no Plano Plurianual 2016-2019, mas foi vetado pela presidenta Dilma Rousseff, divulgado no Diário Oficial no dia 14 de janeiro.

    Com isso, iniciou-se uma intensa campanha pela derrubada do veto. A campanha “Derruba o Veto” tem por objetivo conseguir o voto de 257 deputados e 41 senadores. Conheça e participe da iniciativa em

    www.auditoriacidada.org.br/derrubaoveto

    A rede Jubileu Sul Brasil conversou com Maria Lucia Fattorelli, coordenadora da Auditoria Cidadã da Dívida, que falou sobre a importância desta campanha que está em marcha e sobre as consequências nocivas que este endividamento traz para a população brasileira.

    “Sequer sabemos para quem pagamos a dívida, pois os nomes dos rentistas detentores dos títulos é ‘informação sigilosa’. A auditoria se fundamenta em dados e documentos oficiais e deveria ser rotina. Aliás, a sociedade está exigindo isso da classe política. O que pode justificar não fazer uma auditoria das nossas contas? Faríamos isso na nossa casa e em qualquer empresa que quiséssemos que desse bons frutos”, afirma nesta entrevista.

    A rede disponibiliza aqui a lista de deputados e senadores para que se enviem mensagens pedindo o veto:

    http://www2.camara.leg.br/ e http://www25.senado.leg.br/

    Conheça, também, a campanha da rede JSB pela auditoria da dívida em:

    http://www.jubileusul.org.br/nota/586

    Confira a entrevista.

    ResponderExcluir
  4. Parte 2/5

    Jubileu Sul Brasil– Como surgiu a ideia da Campanha “Derruba o Veto” e como ela vem se realizando no país?

    Maria Lucia Fattorelli – A campanha surgiu da necessidade de garantir a realização da auditoria da dívida pública com participação da sociedade civil. Chegamos perto dessa meta, pois o Congresso Nacional incluiu dispositivo nesse sentido no Plano Plurianual para 2016-2019 aprovado recentemente. Porém, a presidenta Dilma vetou. Agora o Congresso Nacional pode derrubar o veto. Para isso precisaremos do voto de uma maioria simples na Câmara dos Deputados e no Senado.

    Estamos realizando a campanha pela internet, com apoio de parlamentares e artistas, e por meio dos nossos núcleos em diversos locais do Brasil. O objetivo é pressionar os parlamentares, dando-lhes informação sobre a necessidade dessa auditoria da dívida e pedindo o seu voto pela derrubada do veto.

    Criamos uma página que indica 10 motivos para justificar a realização da auditoria da dívida e convoca para a assinatura de uma petição (eletrônica) pela derrubada do veto. A página informa também todos os contatos dos parlamentares, para que as pessoas enviem cartas diretamente a cada um, pedindo que votem pela derrubada do veto.

    Em fevereiro, quando o Congresso Nacional volta a funcionar, iremos visitar gabinetes e entregar cartas pessoalmente aos parlamentares, pedindo que votem pela derrubada do veto.

    Todas as pessoas estão convidadas a participar dessa campanha, por isso pedimos que acessem a página (www.auditoriacidada.org.br/derrubaoveto) e participem.

    Jubileu Sul Brasil – Em todo nosso atual contexto, o que significa para o povo brasileiro uma auditoria da dívida? Que consequências teríamos desta iniciativa?

    Maria Lucia Fattorelli – Auditar a dívida pública brasileira significa trazer transparência para o maior gasto público do país.

    Todo ano, o pagamento de juros e amortizações da dívida consome quase a metade do orçamento federal. A dívida afeta também os orçamentos dos estados e diversos municípios. E quem paga essa conta somos todos nós brasileiros e brasileiras, embora não se saiba que dívida é essa, como ela surgiu, quem se beneficiou, onde foram aplicados os recursos, quanto efetivamente recebemos e quanto é referente a mecanismos financeiros que geram dívida sem contrapartida alguma ao País (ver o artigo “O Banco Central está suicidando o Brasil”).

    Sequer sabemos para quem pagamos a dívida, pois os nomes dos rentistas detentores dos títulos é “informação sigilosa”. A auditoria se fundamenta em dados e documentos oficiais e deveria ser rotina. Aliás, a sociedade está exigindo isso da classe política. O que pode justificar não fazer uma auditoria das nossas contas? Faríamos isso na nossa casa e em qualquer empresa que quiséssemos que desse bons frutos.

    A realização da auditoria trará consequências extremamente benéficas para o país. O Equador, por exemplo, após auditar sua dívida, conseguiu reduzir o seu gasto com dívida externa em 70%, triplicando os investimentos sociais como em educação e saúde.

    ResponderExcluir
  5. Parte 3/5

    Jubileu Sul Brasil – Em 28 anos, tivemos aprovada uma auditoria da dívida. Podemos considerar, em parte, um avanço no Congresso? O que significa politicamente esta aprovação?

    Maria Lucia Fattorelli – De fato, a auditoria está prevista na Constituição de 1988 e até hoje ainda não foi realizada. Sem dúvida, o fato de o Congresso Nacional ter incluído no PPA 2016-2019 o dispositivo que indica a realização da auditoria com participação de entidades da sociedade civil deve ser considerado um avanço, fruto da mobilização social e do empoderamento de muitas pessoas em relação ao tema da dívida.

    Mas é preciso avançar muito mais. É preciso popularizar o conhecimento do que denominamos Sistema da Dívida, isto é, a utilização do endividamento público às avessas, continuamente transferindo recursos públicos para o setor financeiro privado nacional e internacional. O escandaloso lucro dos bancos, ao mesmo tempo em que toda a economia está em queda (desindustrialização, queda no comércio, desemprego e até encolhimento do PIB) evidencia essa transferência de recursos.

    A dívida é o nó que amarra o Brasil e tem sido a principal responsável pelo cenário de escassez em que vivemos, incompatível com a nossa realidade de abundância. Por isso exigimos completa auditoria, com participação cidadã, e estamos empenhados na derrubada do veto.

    Jubileu Sul Brasil – Austeridade, política de ajustes fiscais…como isto se relaciona com a dívida e que impactos traz para os serviços básicos e constitucionais dos/as brasileiros/as?

    Maria Lucia Fattorelli – As obrigações da dívida têm sido consideradas prioridade do governo brasileiro há décadas.

    A política de “ajuste fiscal” ou “austeridade” se encaixa perfeitamente ao funcionamento do Sistema da Dívida, que funciona como uma subtração de recursos nacionais principalmente para mãos de bancos e outras instituições financeiras.

    O ajuste fiscal é obtido mediante o corte de gastos e investimentos públicos (em infraestrutura, educação, saúde e segurança etc.); corte de direitos sociais (como a recém anunciada reforma da Previdência e retirada de direitos trabalhistas), privatizações de patrimônio público, além de aumento de tributos que recaem sobre os trabalhadores e os mais pobres.

    Assim, toda a política econômica fica orientada para essas medidas que visam gerar uma sobra de recursos – o superávit primário – que se destina ao pagamento de juros da dívida pública brasileira.

    Isso afeta diretamente a vida de cada brasileiro e brasileira, além de amarrar o funcionamento do País.

    O verdadeiro ajuste deveria ser feito no pagamento dos juros mais elevados do mundo, pagos sobre uma dívida repleta de ilegalidades, ilegitimidades e até suspeitas de fraudes. Por isso é tão importante lutar pela auditoria dessa dívida e mudar o rumo da política econômica para garantir vida digna para todas as pessoas.

    ResponderExcluir
  6. Parte 4/5

    Jubileu Sul Brasil – O gasto com a dívida – interna e externa – correspondente a 1 de janeiro a 1 de dezembro estaria estimado em mais de 958 bilhões de reais, o equivalente a 46% do gasto federal. Quem são os que ganham com esses juros? Como, na prática, a auditoria poderia rever esses números?

    Maria Lucia Fattorelli – A dívida interna atinge R$ 3,7 trilhões e a dívida externa US$ 546 bilhões.

    O valor de R$ 958 bilhões corresponde ao que a dívida consumiu do dia 1º de janeiro até o dia 1º de dezembro de 2015. O gasto com a dívida é escandaloso, porque as taxas de juros praticadas no Brasil são as mais elevadas do mundo.

    Quem ganha com isso são os detentores dos títulos da dívida, donos desse grande capital, cujos nomes desconhecemos, porque o Tesouro Nacional informa somente o setor econômico de quem detém os títulos, isto é bancos nacionais e estrangeiros (cerca de 50%), fundos de pensão e de investimento (30%), investidores estrangeiros (12%) e os outros 8% seguradoras, FGTS, FAT, fundos administrados pelo governo e aplicadores nacionais.

    A auditoria é a ferramenta que permite conhecer e documentar a real natureza da chamada dívida pública. Os resultados da auditoria são expressos em relatório que serve de instrumento para ações concretas em todos os campos: popular e social, parlamentar, jurídico, entre outros da esfera política. Assim, é muito importante a realização da auditoria, não só para conhecer o processo de endividamento, mas também para fundamentar as ações que devem ser tomadas em relação à dívida.

    A CPI da Dívida Pública realizada na Câmara dos Deputados (2009/2010) denunciou uma série de ilegalidades e ilegitimidades no processo de endividamento brasileiro, tanto interno como externo, em âmbito federal, estadual e até municipal. Assim, a CPI reforçou ainda mais a necessidade de realização de completa auditoria da dívida. Os graves elementos evidenciados pela CPI fazem parte de relatórios entregues ao Ministério Público Federal desde 2010.

    ResponderExcluir
  7. Parte 5/5

    Segundo a própria Constituição Federal (art. 167) o endividamento público é um instrumento que deve ser utilizado com destinação direta a investimentos no país. Ou seja, é ilegal assumir novas dívidas com credores internos e externos para pagar juros de dívidas anteriores e outras despesas correntes. Contudo, a partir de estudos realizados pela Auditoria Cidadã da Dívida e de investigações feitas pela CPI da Dívida, constatamos que é justamente o que vem ocorrendo com a dívida brasileira desde a década de 1970.

    Dentre as ilegalidades e ilegitimidades denunciadas pela CPI podemos resumir as seguintes:

    * Histórica aplicação de “Juros sobre Juros” (Anatocismo), considerado ilegal segundo o Supremo Tribunal Federal;

    * Elevação unilateral dos juros flutuantes na dívida externa, procedimento ilegal, segundo a Convenção de Viena;

    * Estatização de dívidas privadas; ausência de contratos e documentos; ausência de conciliação de cifras nas sucessivas renegociações da dívida externa;

    * Cláusulas ilegítimas nos contratos de endividamento externo;

    * Indício de prescrição da dívida externa que foi transformada nos título “Brady” no início dos anos 90;

    * Introdução de Cláusula de Ação Coletiva sem a aprovação no Congresso Nacional;

    * Resgate antecipado de títulos da dívida externa com pagamento de ágio que chegou a 70% do valor nominal;

    * Ilegalidades no descontrole do fluxo de capitais, que foi uma das principais causas da origem da dívida interna nos anos 90;

    * Artifícios estatísticos e contábeis na demonstração do estoque das dívidas interna e externa;

    * Ausência de informação sobre o valor dos juros nominais que estão sendo efetivamente pagos sobre a dívida bruta;

    * Contratação de nova dívida para pagar grande parte dos juros nominais, o que fere o artigo 167 da Constituição Federal;

    * Conflito de interesses na determinação da Taxa de Juros Selic, tendo em vista que o BC convida predominantemente o próprio setor financeiro para definir as previsões de inflação;

    * Juros e outras variáveis, que depois são consideradas pelos membros do COPOM na definição da Selic;

    * Violação dos direitos humanos e sociais devido à exagerada destinação de recursos orçamentários para o pagamento do serviço da dívida.

    É por tudo isso que precisamos realizar a auditoria. A partir de auditorias na dívida pública podemos fazer com que recursos absorvidos por esse “Sistema da Dívida” sejam revertidos em favor do nosso desenvolvimento socioeconômico e à melhoria das condições de vida no país.

    Fonte: http://www.auditoriacidada.org.br/a-divida-e-o-no-que-amarra-o-brasil-e-e-a-principal-responsavel-pelo-cenario-de-escassez-maria-lucia-fattorelli/

    Vídeo de um seminário sobre a Corrupção e a Dívida Pública com Maria Lúcia Fattorelli:

    https://www.youtube.com/watch?v=9fyt5S0ydBM

    ResponderExcluir
  8. https://www.youtube.com/watch?v=aFzke1cCwUg ORIGEM, CRONOLOGIA E DINÂMICA DA DÍVIDA PÚBLICA BRASILEIRA

    https://www.youtube.com/watch?v=1hhRRhP79Kk AONDE PAROU A CPI DA DÍVIDA PÚBLICA?

    36:35 > https://www.youtube.com/watch?v=aFzke1cCwUg Enquanto o STF examinou o MENSALÃO, devidamente, VISTO QUE O DINHEIRO PÚBLICO DEVE SER INVESTIGADO PARA QUE OS RESPONSÁVEIS SEJAM PUNIDOS, A CAUSA DA AUDITORIA DA DÍVIDA PÚBLICA NÃO OBTEVE SEQUER UM DIA DE ATENÇÃO, INVESTIGAÇÃO DE UM ROMBO DIÁRIO DE 15 MENSALÕES. O mensalão ocupou diariamente 24 horas da mídia, do judiciário, da população em geral, para, COMO BOI DE PIRANHA, ocultar este ROMBO DIÁRIO EQUIVALENTE A QUINZE MENSALÕES.

    58:17 > https://www.youtube.com/watch?v=PmRpA88E9gg O Equador deu uma lição de soberania ao mundo, quando em 2007 o presidente RAFAEL CORREA cria uma comissão encarregada da AUDITORIA OFICIAL DA DÍVIDA nomeando equatorianos mais 6 estrangeiros, entre eles a brasileira MARIA LUCIA FATORELLI (sem nenhuma vantagem, nem diária) para realizar uma auditoria concluída somente no final de 2008. Imediatamente após ler o relatório o presidente ordenou a SUSPENSÃO DO PAGAMENTO DE JUROS que seria feito no mês seguinte, submetendo tal relatório ao crivo jurídico nacional e internacional. Ante a resposta destes juristas, presidente Rafael Correa assume o ATO SOBERANO e faz uma proposta pública aos credores: RECOMPRO A DÍVIDA POR NO MÁXIMO 30% DE SEU VALOR. Qual foi a grande surpresa? 95% dos detentores dos títulos entregaram os títulos e ainda assinaram um documento que não reclamariam judicialmente tal diferença. O relatório de auditoria provava ali as fraudes e os mecanismos de elevação exponencial DA DÍVIDA PÚBLICA através da geração, manutenção e alavancagem dos juros.

    15:33 > https://www.youtube.com/watch?v=PmRpA88E9gg Enquanto isso, no Brasil não se conseguiu o documento de prescrição da dívida previstos em contratos da década de 80 idênticos aos brasileiros, presente na dívida equatoriana ........ então o que ocorre com essa dívida “suspeita” de prescrição? Em 1994 BERÇO DO PLANO REAL, ela é transformada, ATRAVÉS DO PLANO BRADE - em TÍTULOS NEGOCIÁVEIS NO MERCADO

    A maioria da população crê que quando o Brasil lança os TÍTULOS BRADE tenha recebido aqueles “quase U$ 60 bilhões, sendo que além de o Brasil não ter recebido nada, visto que foi uma troca direta, o Brasil ainda foi obrigado a comprar GARANTIAS COLATERAIS = VOLUME DE TÍTULOS DA DÍVIDA NORTE AMERICANA (TRESORE BONDs) , enfim fez-se uma troca de uma dívida provavelmente prescrita por TÍTULOS que serviram logo em seguida, em 1996 por meio do PLANO BRADE, para comprar nossas empresas privatizadas..... uma HISTÓRIA DE TERROR desconhecida pela maioria porque a GRANDE MÍDIA, a serviço do sistema financeiro internacional não disponibiliza tais informações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um povo como o brasileiro que tem altíssimo índice de analfabetismo funcional, isso tudo acima descrito é hieróglifo. Sem falar na duvidosa escala de valores.

      Obrigado pelo didático resumo.

      Abraço

      Excluir
  9. Fica então a lição e o convite https://www.youtube.com/watch?v=rRQHG5kd-Q0 + http://www.horadopovo.com.br/2011/julho/2978-22-07-2011/P2/pag2a.htm

    “Não se opor ao erro é o mesmo que aprová-lo, não defender a verdade é o mesmo que suprimi-la” - Papa Félix III

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não faça NENHUMA DÍVIDA - Série de palestras cristãs sobre Romanos 13:8:
      https://www.youtube.com/watch?v=AddejXIXltY

      Deus (o cristão), através dos Evangelhos, alertou sobre tudo que a Maria L. Fattorelli denuncia.

      “Não se opor ao erro é o mesmo que aprová-lo, não defender a verdade é o mesmo que suprimi-la”
      - Papa Félix III

      Excluir
  10. Obrigado, Cobalto, pelas recomendações

    "Nimm das Recht weg – was ist dann ein Staat noch anderes als eine große Räuberbande" - De civitate dei, IV, 4, 1. Übers.: Papst Benedikt XVI, Rede vor dem Deutschen Bundestag am 22. September 2011, O QUE É UM ESTADO, EM QUE SE SUPRIMIU O DIREITO, SENÃO UM GRANDE BANDO DE LARÁPIOS.” Papa Bento XVI citando Santo Agostinho em seu discurso no parlamento alemão em 22 de setembro de 2011.

    Wenn die Menschen gottlos werden, SE AS PESSOAS ESTÃO SEM DEUS
    • sind die Regierungen ratlos, OS GOVERNOS SÃO DESAMPARADOS
    • die Lügen grenzenlos, AS MENTIRAS, SEM LIMITES
    • die Schulden zahllos, AS DÍVIDAS IMPAGÁVEIS
    • die Besprechungen ergebnislos, AS DISCUSSÕES ESTÉREIS
    • die Aufklärungen hirnlos, OS ESCLARECIMENTOS IMPRUDENTES
    • die Politiker charakterlos, OS POLÍTICOS, SEM CARÁTER
    • die Christen gebetslos, OS CRISTÃOS SEM ORAÇÃO
    • die Kirche kraftlos, A IGREJA IMPOTENTE
    • die Völker friedlos, AS NAÇÕES SEM PAZ
    • die Verbrechen maßlos OS CRIMES, DESENFREADOS


    Antoine de Saint-Exupery - escritor, ilustrador e piloto francês, terceiro filho do conde Jean Saint-Exupéry e da condessa Marie Foscolombe.

    Alea jacta est

    ResponderExcluir
  11. Lo que enseña el pueblo judío:
    https://www.youtube.com/watch?v=NTHtY8lWORU

    Industria del Entretenimiento: Arma de Propaganda al Servicio de la Judería Internacional:
    https://www.youtube.com/watch?v=jXhWxJTTakg

    Alea jacta est

    ResponderExcluir
  12. Judeus ameaçam assassinar Donald Trump, candidado presidencial nos EUA:
    https://crushzion.k0nsl.org/jews-threaten-to-assassinate-donald-trump-because-he-is-a-nazi-goyy/

    Os jornalistas se calam, imagine se fosse o contrário. Ou imagine se encontram alguma suástica pichada num muro qualquer. Resumindo, telejornalismo não é sinônimo de informação.

    ResponderExcluir
  13. Segundo http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=17433 -> Não é coincidência que as três maiores nações BRICS estejam sendo simultaneamente atacadas – em incontáveis níveis: Rússia, China e Brasil. A estratégia combinada pelos Masters of the Universe que ditam as regras no eixo Wall Street/Av. Beltway [governo dos EUA em Washington] é minar por todos os meios possíveis o esforço coletivo dos BRICS para produzir alternativa viável ao sistema econômico/financeiro global – esse mesmo que, atualmente, está submetido ao capitalismo-de-cassino. É pouco provável que Lula, sozinho, consiga detê-los."

    Se o PT ou qualquer outro partido pretender uma VITÓRIA revolucionária terá que abraçar CPI DA DÍVIDA PÚBLICA https://www.youtube.com/watch?v=1hhRRhP79Kk e PRENDER BANQUEIROS como fez a FINLÂNDIA

    https://volksbetrugpunktnet.files.wordpress.com/2013/12/verbrecher.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terminar essas obras do PAC e parar com essa agenda da destruição da Família.

      Abraço

      Excluir
  14. HOJE É DIA DO PERDÃO

    Hoje, 8 de novembro é dia do perdão. Mas não espere uma data para perdoar. Jesus ensinou na oração do "Pai Nosso" que devemos pedir a Deus que "só perdoe nossos erros quando aprendermos a perdoar quem errou conosco" e repetiu a necessidade do perdão em outras passagens do Evangelho. Francisco de Assis reforçou dizendo ser melhor "Perdoar que ser perdoado". Como disse Divaldo Franco "Se o outro não nos perdoa é problema dele, mas se nós não perdoarmos, o problema é nosso". Perdoar não significa que precisemos conviver com a pessoa, amá-la com o mesmo amor que tínhamos antes dela nos ofender ou prejudicar. Perdoar significa que devemos orar pela pessoa, não desejar mal a ela, não se satisfazer com algo de ruim que aconteça a ela, não querer se vingar. Perdoar é entender que a outra pessoa ainda não aprendeu a agir de forma leal, respeitosa e justa. Se nós já conseguimos agir melhor que ela, devemos compreender que nem todos ainda aprenderam esta lição. E que, se ela errou num ponto, nós também temos outros pontos falhos. Que atire a primeira pedra quem nunca errou. Perdoar não é fácil, mas também não é impossível. Nos esforcemos nesta lição que o Cristo ensinou.
    http://grupoallankardec.blogspot.com.br
    Rudymara

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/hoje-dia-do-perdao/#ixzz4PW3LD8n5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Converta-se ao Senhor Jesus para que seus pecados possam ser perdoados. Leia Gálatas 1:8.

      Excluir
  15. A POTÊNCIA DO AMOR - Por Einstein

    Fragmento da última carta de Einstein à sua filha Lieserl!


    O Amor...

    Quando propus a teoria da relatividade, muito poucos me entenderam, e o que lhe revelarei agora para que o transmita à humanidade, também se chocará contra a incompreensão e os preconceitos do mundo.

    Peço-lhe mesmo assim, que o guarde o tempo todo que seja necessário, anos, décadas, até que a sociedade haja avançado o suficiente para acolher o que lhe explico a seguir.

    Existe uma força extremamente poderosa para a qual a ciência não encontrou ainda uma explicação formal.

    É uma força que inclui e governa todas as outras, e que está inclusa dentro de qualquer fenômeno que atua no universo e que ainda não foi identificada por nós.

    Esta força universal é o Amor.

    Quando os cientistas buscam uma teoria unificada do universo, esquecem da mais invisível e poderosa das forças.
    O amor é luz, já que ilumina quem o dá e o recebe.
    O amor é gravidade porque faz com que umas pessoas sejam atraídas por outras.
    O amor é potencia, porque multiplica o melhor que temos e permite que a humanidade não se extinga no seu egoísmo cego.
    O amor revela e desvela. Por amor se vive e se morre.

    Esta força explica tudo e dá sentido em maiúscula à vida.

    Esta é a variável que temos evitado durante tempo demais, talvez porque o amor nos dá medo, já que é a única energia do universo que o ser humano não aprendeu a manobrar segundo seu bel prazer.

    Para dar visibilidade ao amor, fiz uma simples substituição na minha mais célebre equação. Si no lugar de E=mc² aceitamos que a energia necessária para sanar o mundo pode ser obtida através do amor multiplicado pela velocidade da luz ao quadrado, chegaremos à conclusão de que o amor é a força mais poderosa que existe, porque não tem limite.

    Após o fracasso da humanidade no uso e controle das outras forças do universo que se voltaram contra nós, é urgente que nos alimentemos de outro tipo de energia.

    Se quisermos que nossa espécie sobreviva, se nos propusermos encontrar um sentido à vida, se desejarmos salvar o mundo e que cada ser sinta que nele habita, o amor é a única e última resposta.

    Talvez ainda não estejamos preparados para fabricar uma bomba de amor, um artefato bastante potente para destruir todo o ódio, o egoísmo e a avareza que assolam o planeta.
    Porém, cada indivíduo leva no seu Interior , um pequeno mas poderoso gerador de amor cuja energia espera ser liberada.

    Quando aprendermos a dar e receber esta energia universal, querida Lieserl, comprovaremos que o amor tudo vence, tudo transcende e tudo pode, porque o amor é a quintessência da vida.

    Lamento profundamente não ter sabido expressar o que abriga meu coração, que há batido silenciosamente por você toda minha vida.

    Talvez seja tarde demais para pedir-lhe perdão, mas como o tempo é relativo, preciso dizer-lhe que a amo e que graças a você, cheguei à ultima resposta.

    Seu pai,
    Albert Einstein "
    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/a-potencia-do-amor-por-einstein/#ixzz4QBDMH700


    ResponderExcluir
  16. CONFORME O QUE ESTÁ ESCRITO NA LEI DO SENHOR:
    (LC.2.23)

    (LC.8.17) NADA HÁ OCULTO QUE NÃO HAJA DE MANIFESTAR-SE, NEM ESCONDIDO QUE NÃO VENHA A SER CONNHECIDO; (LE.12.14) PORQUE DEUS HÁ DE TRAZER A JUÍZO TODAS AS OBRAS, , ATÉ AS QUE ESTÃO ESCONDIDAS, QUER SEJAM BOAS, QUER SEJAM MÁS: (MT.19.26) ISTO É IMPOSSÍVEL AOS HPMENS, MAS PARA DEUS TUDO É POSSível: (2CO.10.7) OBSERVAI O QUE ESTÁ EVIDENTE:
    (RM.10.18) PERGUNTO: A AUTORIDADE PÚBLICA QUE ISENTA FALSAS IGREJAS DE TRIBUTOS FISCAIS POR INTERESSE POLÍTICO, LOCUPLETANDO GUIAS CEGOS E PECADORES, QUE AMONTOAM FORTINAS EXPLORANDO A BOA FÉ E A INGENUIDADE DE MUITA GENTE SIMPLES, À PAR DE PERPETUAR A IGNORÂNCIA E O SOFRIMENTO NA TERRA; ACASO TERÁ JUÍZO OU FORMAÇÃO CRISTÃ BASTANTE PARA MONTAR ASSESSORIA RELIGIOSA CAPAZ DE LIVRAR O POVO DE DEUS DESSE JUGO INFERNAL?
    ISTO É IMPOSSÍVEL PARA QUEM DESCONHECE OS SANTOS ENSINAMENTOS DE CRISTO, O TESTEMUNHO DOS ESPÍRIOS SUPERIORES, E O CONTEÚDO OBJETO DAS PARABOLAS BÍBLICAS, À EXEMPLO DESTA:
    (GN.) O PRIMEIRO LIVRO DE MOISÉS CHAMADO GÊNESIS: A CRIAÇÃO DOS CÉUS E DA TERRA E DE TUDO O QUE NÊLES HÁ: (AR.77.5) –
    (Ao recompormos as 77 letras e os 5 sinais que compõem o título acima, o AMOR nos revela que):
    HÁ UM HOMEM LENDO AS VERDADES DO SEU ESPÍRITO: ÊLE É O GÊNIO CRIADOR QUE CRIA ESSA AÇÃO DE CRISTO: (IL.77.5)
    (LC.20.17) QUE QUER DIZER, POIS, O QUE ESTÁ ESCRITO? (ar) QUERO DIZER QUE: (AP.21.6) TUDO ESTÁ FEITO: (JB.8.32) CONHECEREIS A VERDADE, E A VERDADE VOS LIBERTARÁ; (EZ.12.24) PORQUE JÁ NÃO HAVERÁ VISÃO FALSA NENHUMA, NEM ADVINHAÇÃO LISONJEIRA NO MEIO DA CASA DE ISRAEL: (JÓ.5.4) OS SEUS FILHOS ESTAVAM LONGE DO SOCORRO, ERAM ESPEZINHADOS ÀS PORTAS DO SABER, E NÃO HAVIA QUEM OS LIVRASSE DO MAL; (SL.78.22) PORQUE NÃO CRERAM EM DEUS NEM CONFIARAM NA SUA SALVAÇÃO.
    (IS.16.14) AGORA, PORÉM, O SENHOR FALA E DIZ: (JS.5.9) HOJE REMOVI DE VÓS O OPRÓBRIO DO EGITO; (LC.12.32) PORQUE VOSSO PAI SE AGRADOU EM DAR-VOS O SEU REINO:(JB.14.17) O ESPÍRITO DA VERDADE, QUE O MUNDO NÃO PODE RECEBER; PORQUE NÃO NO VÊ, NEM O CONHECE; VÓS O CNHECEIS, PORQUE ELE HABITA CONVOSCO E ESTARÁ EM VÓS: (FL.2.29) RECEBEI-O, POIS, NO SENHOR, COM TODA A ALEGRIA E HONRA! (2CO.13.18) PORQUE NADA PODEMOS CONTRA A VERDADE, SENÃO EM FAVOR DA PRÓPRIA VERDADE: (MT.25.34) VINDE, BENDITOS DE MEU PAI! E TOMAI POSSE DO REINO QUE vOS ESTÁ PREPARADO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO...






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.youtube.com/watch?v=eqv1UjzIl34

      http://pt.metapedia.org/wiki/Olavo_de_Carvalho

      Excluir

"Numa época de mentiras universais, dizer a verdade é um ato revolucionário."
George Orwell

"Até que os leões tenham seus próprios historiadores, as histórias de caçadas continuarão glorificando o caçador."
Eduardo Galeano

Desejando, expresse o seu pensamento do assunto exposto no artigo.
Agressões, baixarias, trolls, haters e spam não serão publicados.

Seus comentários poderão levar algum tempo para aparecer e não serão necessariamente respondidos pelo blog.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

Agradecido pela compreensão e visita.