sábado, 17 de dezembro de 2016

Pau-Brasil é verde ou vermelho?

“Minha bandeira nunca será vermelha!”, será? Na verdade, etimologicamente a cor vermelha teria muito mais sentido.
Por Minerva, no Voyager



Como a família real, o gosto pelo velho e a falsa simbologia moldaram as cores nacionais. Bônus: seria o Brasil a mítica ilha celta no Oceano Atlântico?

Se te perguntarem quais são as cores nacionais brasileiras, você certamente teria a resposta na ponta da língua: verde, amarelo e azul. E, muito provavelmente, você, assim como eu, aprendeu na escola o que estas cores significam: o verde representa as florestas, a flora brasileira; o amarelo representa o ouro e as riquezas naturais; já o azul representa o nosso céu.

Esta bonita simbologia nos cativa e nos faz ter orgulho das nossas cores, que supostamente representam tão bem o nosso país… Nesse apego aos símbolos nacionais, você já deve também ter ouvido também, daquele amigo mais “patriota”, o poderoso bordão: “minha bandeira jamais será vermelha!” Um grito afirmativo, de que as cores nacionais jamais seriam usurpadas de sua importância pela cor “comunista”.

Contudo, será que a cor vermelha seria uma afronta assim tão grave à identidade do nosso país? Vamos descobrir tentando saber um pouco mais sobre a origem da palavra Brasil e de sua bandeira.

Desde bem cedo em nossa vida escolar nos deparamos com essa pergunta: por que o Brasil recebeu este nome? Novamente, tínhamos a resposta fácil!: por causa do pau-brasil (1), uma das primeiras riquezas naturais a serem extraídas pelos portugueses. Tá, mas e esse termo pau-brasil, qual a origem etimológica da palavra “brasil” afinal? Se pesquisarmos sobre sua origem, chegaremos a duas influências distintas: o Latim e o Celta.

A origem Celta (e vermelha) da palavra Brasil

A Ilha de Hy-Brasil aparece em mapas cartográficos desde 1325 até meados dos anos 1800. Na maior parte dos mapas, a Ilha aparece na costa oeste da Irlanda, no Norte Atlântico.



Os contos e lendas sobre Hy-Brasil circularam pela Europa por séculos, tendo a Ilha aparecido em mapas, cartas e documentos de países como Itália e Espanha, sob nomes como Isola di Brasil e Isla de Brasil, chegando a ser documentada inclusive em Atlas e documentos mercantes já nos anos 1500s.

As expedições que “afirmavam” ter visitado a Ilha (o mais curioso é que esses caras ou realmente chegaram nesta Terra lendária ou sabiam mentir bem e em conjunto, pois os relatos costumavam confirmar vários outros!), relataram-na sendo habitada por gigantes coelhos negros, monges de sabedoria milenar, um mago que vivia sozinho em seu castelo, abundância de ouro e prata e também a presença de outras criaturas lendárias. Hy-Brasil foi até mesmo apelidada de “Atlantis Irlandesa”.

Ao final dos anos 1800s, Hy-Brasil passou a aparecer cada vez menor nos mapas, até se tornar apenas um “pontinho” chamado Rocha de Brasil e, por fim, desapareceu por completo das cartas oficiais e passou ao mundo das lendas definitivamente.

Hy-Brasil significa “descendentes dos reis supremos” em celta, e, apesar de sua história parecer um pouco com os primeiros relatos sobre o Brasil no seu descobrimento, não há nenhuma ligação linguística entre o Brasil celta e o Brasil em latim.

Em latim, Brasil significa: vermelho como brasa ou vermelho das brasas.

As cores da nossa bandeira são de origem monárquica

O fato é que mesmo se nossa bandeira fosse vermelha, ela ainda poderia representar o Brasil e a nós brasileiros, mais até do que as cores verde, amarelo e azul, até porque estas cores nunca representaram o que sempre nos foi dito que representavam: na verdade, o verde louro representa a cor da família real Portuguesa (Casa de Bragança) e o amarelo-ouro representa a cor da nobreza austríaca (Casa de Habsburgo), que formavam o Brasil Império pelo casa mento de Dom Pedro I e Maria Leopoldina.



A bandeira do Brasil Império, criada (e costurada a mão!) pelo próprio D. Pedro I, trazia no centro o brasão verde, amarelo e azul, desenhado pelo francês Jean-Baptiste Debret. Nem mesmo o posicionamento e o formato dos elementos da bandeira diziam respeito ao Brasil: o losango amarelo foi referência às bandeiras militares francesas, sutil homenagem de D. Pedro I a Napoleão Bonaparte, a quem ele muito admirava e havia tornado parente distante quando de seu casamento com Leopoldina.

Após a queda do Império, diversas propostas para a nova bandeira da República foram apresentadas, tentando deixar para trás tudo que nos ligasse ainda ao Império e à Portugal. Por fim optou-se em manter o retângulo verde louro e o losango amarelo, trocando o brasão imperial pelo círculo estrelado e incluindo o lema (maçom e anticristão) positivista “Ordem e Progresso”. As cores foram mantidas, porém tiveram sua simbologia “romantizada”, num esforço de dar ares novos ao que era velho, que remetia ao nosso passado monárquico.

O maior símbolo da República já começara não representando a identidade brasileira. Apesar do nome Brasil (vermelho por natureza e origem), sua bandeira permaneceu verde e amarela.

Resultado de imagem para pau brasil
Flores do pau-brasil (Caesalpinia echinata).
Fonte: http://www.jacarandamimoso.com.br/2012/08/pau-brasil-madeira-e-resina-uma-patria.html

Conclusão

A cor vermelha, quando aplicada em bandeiras, está longe de representar apenas o socialismo ou o comunismo, ela também é a cor adotada por 148 países no mundo para representar valor, honra, batalhas, luta, revolução, flores, Sol, terra/solo e dezenas de outros significados. Fosse exclusividade comunista, o vermelho não apareceria nas bandeiras de países como a Alemanha, os EUA, o Reino Unido…

Portanto, apesar do medo irracional que a cor vermelha desperta em muita gente, fosse nossa bandeira brasileira vermelha como sangue, ainda assim, poderia ser uma melhor representação do nosso povo, origem, história, cultura e identidade até melhor do que o trio “canarinho”, além de definitivamente possuir mais sentido.

(Re)conhecer a história da nossa bandeira e das suas cores, sabendo o que elas realmente significam, já é um importante passo para aprender mais sobre a nossa história e abandonar bordões simplistas e preconceituosos no lugar onde eles deveriam ficar, sem jamais terem saído: o passado.

Fonte: http://www.marchaverde.com.br/2016/12/minha-bandeira-nunca-sera-vermelha-sera.html

Imagem relacionada

(1) A árvore Pau-Brasil era conhecida pelos índios tupis de Ibirapitanga: ïbi'rá ("pau") e pi'tãga ("vermelho").
FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. pág. 153.
Malou von Muralt. (novembro 2006). "A árvore que se tornou país". Revista da USP (71). ISSN 0103-9989.

Leia também "Terra de Santa Cruz ou Brasil?":
https://desatracado.blogspot.com.br/2013/11/terra-de-santa-cruz-ou-brasil.html

       Imagem relacionada
            No dia 3 de maio comemora-se o Dia Nacional do Pau-brasil.

Abraços

16 comentários:

  1. Belo artigo!
    Só que (com trocadilho!) nas escolas o blá-blazear só faz apodrecer as consciências.
    O caminho é longo e árduo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sugestões de leituras para final de ano:

      "A Ditadura Escancarada" de Elio Gaspari,
      "A Conjuração Anticristã" tomos I, II e III, de Monsenhor Henri Delassus,
      "Apontamentos de História Eclesiástica" por D. Jaime de Barros Câmara, Arcebispo do Rio de Janeiro (1945),
      "CRIMES AND MERCIES - The Fate of German Civilians Under Allied Occupation 1944-1950" de Jaimes Bacque,
      "Gun Controll in Germany 1928 - 1945" de William L. Pierce, e
      Malachi Martin nos da: PISTAS Sobre el Tercer Secreto

      Todos em PDF grátis.

      Excluir
    2. Cole o nome do livro no Google acrescentando PDF. Exemplo: "A Ditadura Escancarada" de Elio Gaspari PDF

      Então, lhe aparecerá assim:
      https://www.google.com.br/search?q=%22A+Ditadura+Escancarada%22+de+Elio+Gaspari%2C&oq=%22A+Ditadura+Escancarada%22+de+Elio+Gaspari%2C&aqs=chrome..69i57&sourceid=chrome&ie=UTF-8#q=%22A+Ditadura+Escancarada%22+de+Elio+Gaspari+PDF

      E assim sucessivamente.

      Abraço, boa leitura e ajude a divulgar os livros. Obrigado.

      Excluir
  2. Saudações, meu caro!

    Provocativo como sempre, hein? Isso é muito bom porque eleva o nível da discussão. Vi este artigo no Marcha Verde e aprecio muito seu gesto de replicá-lo para acender a polêmica. Quando uso as expressões "discussão" e "polêmica" enfatizo que estou fazendo referência ao método medieval de debater uma idéia. De fato, o Pau-Brasil é vermelho vivo e nada impediria que a bandeira do Brasil fosse desta cor. Na verdade, prefiro ela do jeito que está, ainda que saiba perfeitamente sua origem. Na verdade, nunca fui muito fã da cor vermelha, isso por questões ideológicas e estéticas, a despeito de minha posição pessoal, não posso deixar de admirar o vermelho das capas dos legionários romanos e nem mesmo a púrpura imperial colocada sobre ombros dos Césares da Cidade Eterna; vermelho era, ainda, a cor dos deuses. Acho que não nos custaria nada reavivar o culto às antigas bandeiras nacionais, particularmente a imperial, com a esfera armilar. Como você deve saber melhor do que eu, os homens apreciam os símbolos e é por isso que a Cruz Gamada é tão fascinante.

    Meus sinceros respeitos pelo excelente trabalho que vem fazendo, seu blog é altamente recomendável para pessoas inteligentes e de espírito forte.


    Fábio Siqueira Batista
    Professor de História

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Fábio, agradeço sua visita e seu importante comentário. Tenho a mesma crença do "debate" e da "polêmica" no sentido da construção de valores baseados na idoneidade, na verdade e nas virtudes. Só conseguiremos uma civilização digna de assim ser chamada se for fundamentada na verdade e nas virtudes.

      Não se trata querer mudar a cor da bandeira, mas de mostrar a incoerência, o preconceito, intolerância e ignorância (infelizmente) da grande massa.

      Sem conhecimento, não há verdade. E sem debate, não há profundidade ou convicção. Obrigado.

      Por que não de novo a Monarquia?
      https://desatracado.blogspot.com.br/2014/09/por-que-nao-de-novo-monarquia.html

      A Monarquia como nova forma de governo no Brasil:
      https://desatracado.blogspot.com.br/2013/12/a-monarquia-como-nova-forma-de-governo.html

      A mulher na Idade Média (3 partes):
      http://desatracado.blogspot.com.br/2013/12/a-mulher-na-idade-media-14.html

      http://desatracado.blogspot.com.br/2013/12/a-mulher-na-idade-media-34.html

      https://desatracado.blogspot.com.br/2013/12/a-mulher-na-idade-media-44.html

      Sugestões para leitura (em PDF):
      "1964-2016: Golpe Militar, História, Memória e Direitos Humanos" por Maria Ribeiro do Valle (org.)

      "UNDERSTANDING THE JEWS, UNDERSTANDING ANTI-SEMITISM" de Hervé Ryssen

      Excluir
  3. Por seus frutos os conhecereis.
    Mateus 7:16 https://www.bibliaonline.com.br/acf/mt/7/16-20

    http://2.bp.blogspot.com/-viq8ZN1ip30/U_ozgxI3mVI/AAAAAAAAQuE/uJQ_suzbq08/s1600/1aaaManis1.jpg
    A história é testemunha que JAMAIS se REGISTROU uma EXPRESSÃO SIMILAR oriunda de HITLER ou de UM NACIONAL SOCIALISTA

    O que se constatou REALMENTE no que se denominou 2ª Guerra Mundial, foi a consagração da propaganda mentirosa https://pbs.twimg.com/media/ChTX9a9XEAAC5m0.jpg para salvar o COMUNISMO e o projeto de um único governo mundial e a escravização dos "Goyn": "gado humano preparado para o massacre"

    http://abortoemportugal.blogspot.com.br/2015/07/estarrecedor-acougue-humano-maior.html

    ResponderExcluir
  4. A hermenêutica de todo adjetivo é inerente ao processo subjetivo, à linguagem e não à imagem; está associada somente à maneira de ver e não à forma do ser.

    A pseudo literatura machadiana, alencariana… e todo o elenco picaresco configuram uma sociedade pernóstica; que não consegue ver nos outros senão os vícios que carrega em si mesmo.

    Enfim, a receita não muda https://pbs.twimg.com/media/ChTX9a9XEAAC5m0.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por essa e outras... outras... outras..., que fazem tanto sucesso a 'ribimboca da parfuseta', a 'estâmpola de apego', a máquina de achar diferenças...
      Pernóstico!

      Excluir
    2. Apostaria (apostasia?!...) em sincretismo religioso.

      Excluir
  5. Trecho de um artigo meu postado em http://quadrosaovivo.blogspot.com.br/2016/04/falena-borboleta-integralista-aguia.html#!/2016/04/falena-borboleta-integralista-aguia.html:

    "existem muitos segredos do Integralismo, que se originam desde as eras priscas da Ordem dos Cavaleiros Templários, que traziam os segredos dos mapas encontrados nas bibliotecas do Templo de Salomão. Entre eles o segredo de que o Brasil é formado por civilizações antigas, descendentes de sobreviventes dos continentes perdidos de Atlântida e da Lemúria, por Egípcios, Fenícios, Hebreus, Vikings, Chineses e Mongóis, e é citado na Bíblia com o nome de Ophir. Foi a partir desses documentos que os portugueses iniciaram sua jornada pela navegação para formar no Brasil o Império do Espírito Santo, tomando em posse em 1500, onde oficialmente já tinham estado desde 1343, de um mapa que já existe desde 1325. O nome Brasil já existe desde o ano de 565 DC, quando São Brandão, um monge irlandês, descreveu que visitara um lugar onde colonizou os nativos, que chamou de ilha Hy-Brazil. Mbrazil é o nome de uma entidade cultuada pelos tupis que reside dentro da árvore chamada Ibirapitanga, ou seja, o pau-brasil. A lenda do Vovô Índio, que Monteiro Lobato e Plínio Salgado desenvolveram para substituir o Papai Noel no natal, é inspirada nessa entidade. Essa é a verdadeira Origem do nosso país que nenhum livro de escola ensina, conhecimento oculto."

    >>leia mais sobre a origem Templária do Brasil, que também já foi chamado de Ophir, a ilha de Hy-Brazil, o deus indígena Mbrasil, e o Vovô Índio.:
    http://novointegralismo.blogspot.com.br/2015/02/o-descobrimento-planejado-do-brasil.html
    http://novointegralismo.blogspot.com.br/2015/02/o-brasil-como-quinto-imperio-ou-imperio.html
    http://novointegralismo.blogspot.com.br/2015/02/historia-secreta-do-brasil-claudia.html
    http://novointegralismo.blogspot.com.br/2016/04/brasil-o-reino-de-ofir_17.html
    http://primeirossuperherois.blogspot.com.br/2015/12/revelacoes-ineditas-sobre-o-vovo-indio.html
    http://novointegralismo.blogspot.com.br/2016/04/alguns-pormenores-sobre-o-descobrimento.html
    http://novointegralismo.blogspot.com.br/2015/07/hy-brazil-lenda.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita e comentário, caro Rod Tigre.

      Abraço

      Excluir
  6. .... e bolchevista - há, graças a Deus, outros caminhos e afinidades https://www.youtube.com/watch?v=I2i1cOtMQnc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.youtube.com/channel/UCn73AIgSfo8IeK9MnIP8UqA

      http://www.anda.jor.br/

      Ajude, colabore, promova. Obrigado.

      Excluir

"Numa época de mentiras universais, dizer a verdade é um ato revolucionário."
George Orwell

"Até que os leões tenham seus próprios historiadores, as histórias de caçadas continuarão glorificando o caçador."
Eduardo Galeano

Desejando, expresse o seu pensamento do assunto exposto no artigo.
Agressões, baixarias, trolls, haters e spam não serão publicados.

Seus comentários poderão levar algum tempo para aparecer e não serão necessariamente respondidos pelo blog.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

Agradecido pela compreensão e visita.